domingo, 27 de setembro de 2020

Toffoli acata pedido de defesa e Geddel deve ser liberado para prisão domiciliar

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da Redação

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, acatou o pedido da defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que deve ser liberado para prisão domiciliar.

Na noite de ontem, Toffoli deferiu o requerimento da defesa, sob o argumento do “agravamento do estado geral de saúde” de Geddel, com “risco real de morte reconhecido”, “convertendo-se a execução da pena do paciente em prisão domiciliar humanitária com monitoração eletrônica”.

No deferimento, Toffoli ressalta que se trata de uma “decisão excepcional” que não prejudica “posterior reexame do juiz natural da causa”, ministro Edson Fachin. Como o Judiciário está em recesso, o pedido foi encaminhado ao presidente da Corte.

O pedido foi enviado pela defesa de Geddel no último dia 10 de julho, após o ex-ministro ter testado positivo para a Covid-19.

Os advogados argumentam que o ex-ministro faz parte do grupo de risco por ser idoso, hipertenso e com histórico de obesidade. Alegam ainda que o presídio tem sofrido com a falta de água, dificultando o cumprimento das normas sanitárias para os cuidados com o novo coronavírus.

Geddel foi condenado a 14 anos e 10 meses de prisão e cumpre pena, atualmente, no Complexo da Mata Escura, em Salvador.

15 de julho de 2020, 07:50

Compartilhe: