segunda-feira, 20 de maio de 2019

“Se PM não tivesse chegado logo teria sido pior”, diz Doria sobre massacre em Suzano

O governador de São Paulo, João Doria, disse hoje (14), que poderiam ter ocorrido mais mortes na Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, caso a polícia não tivesse chegado ao local rapidamente.

“O fato ocorreu entre 9h e 9h15 da manhã, sendo que a Polícia Militar chegou ao local em oito minutos. E foi determinante a chegada da Polícia Militar porque, sem a chegada da polícia, teria sido pior”, disse o governador. No massacre foram mortos cinco estudantes e duas coordenadoras de ensino. Os atiradores também mataram um comerciante, tio de um deles, pouco antes de chegarem à escola.

Doria visitou ontem (14) a escola, pouco depois dos dois atiradores terem matado sete pessoas no local. “Vi uma cena que não vou me esquecer nunca mais na minha vida. Teve três momentos dramáticos na minha vida: a perda da minha mãe, a perda do meu pai e a cena que assisti ontem em Suzano. Foi uma das maiores tragédias que um ser humano pode ver, crianças mortas e ensanguentadas no chão e as duas auxiliares”, disse.

O governador anunciou hoje (14) que as famílias das sete vítimas serão indenizadas pelo estado, em cerca de R$ 100 mil. O pagamento deverá ocorrer em até um mês. O decreto deverá ser publicado amanhã (15) em Diário Oficial.

O governo de São Paulo também ajudou as famílias oferecendo apoio psicológico e médico, helicópteros para transferência de feridos para hospitais e apoio aos funerais. Segundo Doria, o ministro da Justiça, Sergio Moro, ligou para ele na manhã de ontem para também oferecer apoio do governo federal.

14 de março de 2019, 20:04

Compartilhe: