terça-feira, 20 de abril de 2021

Riqueza dos maiores bilionários do mundo cresce US$5 trilhões na pandemia

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A pandemia do novo coronavírus afetou o bolso de muita gente, mas não da mesma forma. Enquanto muitos perderam seus empregos e têm dificuldade para manter as contas em dia, a riqueza dos maiores bilionários do mundo aumentou em cerca de US$ 5 trilhões, de acordo com a revista americana Forbes.

Não só isso: 660 pessoas entraram para a seleta lista de mais ricos do mundo no ano. Mas, se contar apenas o período da pandemia, a partir de março de 2020, foram 493 novatos — ou seja, quase um novo bilionário a cada 17 horas nos últimos 12 meses.

Com isso, o ranking da Forbes agora conta com 2.755 bilionários, cuja fortuna somada ultrapassa a casa dos US$ 13,1 trilhões, bem maior do que os US$ 8 trilhões do ano passado.

A pessoa mais rica a entrar para a lista é Miriam Adelson de Nevada, que herdou de seu marido Sheldon um império de cassinos após a sua morte em janeiro, com US$ 38,2 bilhões. O produtor de cinema e TV Tyler Perry também entrou para a lista, bem como Whitney Wolfe-Herde, a fundadora do aplicativo de relacionamentos Bumble.

Jeff Bezos, da Amazon, continua a ser a pessoa mais rica do mundo pelo quarto ano consecutivo, segundo a Forbes, com uma fortuna estimada em US$ 177 bilhões — US$ 64 bilhões a mais que no ano anterior, resultado direto da alta das ações da varejista que cresceu em meio à pandemia.

06 de abril de 2021, 15:58

Compartilhe: