sábado, 6 de junho de 2020

Rapidinhas: Um ministro na frigideira

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Davi Lemos

A semana ainda não acabou, a tensão aumentou em Brasília e, na falta de outros ministros para serem fritados, continua sendo o titular da Saúde, Nelson Teich, o alvo principal do presidente Jair Bolsonaro. Já na segunda-feira (11), foi editado decreto pelo presidente que incluia academias, salões de beleza, cabeleireiros e barbearias como atividades essenciais. Teich soube das novas inclusões durane coletiva de imprensa, quando é realizado balanço diário da pandemia pelo novo coravírus.

Hidroxicloroquina

Outro ponto de desgaste foi o “enquadramento” realizado pelo presidente para que Teich mude o protocolo para a utilização da hidroxicloroquina no tratamento das pessoas contaminadas com o coronavírus. Isso ocorreu nesta quinta-feira (14). Em consequência disso, o ministro não apareceu mais uma vez para participar da entrevista no Planalto sobre o balanço da Covid-19. Bolsonaro sabe como fritar alguém; e a militância bolsonarista já trabalha para moer a biografia do oncologista.

Exames e exemplos

A desnecessária celeuma em torno do exame para detectar infecção por coronavírus tornou-se também um outro exemplo de como criar problemas completamente evitáveis. Os três exames apresentados pela Advocacia Geral da União (AGU) apresentaram resultado negativo. Exemplos internos e externos mostram o padrão correto. O primeiro-ministro britânico Boris Johnson apresentou o resultado dos exames – o premier é um dos exemplos internacionais admirados pelos bolsonaristas. Em Salvador, o prefeito ACM Neto salientou que tornará público o resultado da testagem que realizou após o seu chefe de gabinete apresentar resultado positivo para o novo coronavírus. Ficam os bons exemplos.

14 de maio de 2020, 19:39

Compartilhe: