terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Rapidinhas: Paulistas e brasileiros fizeram Doria voltar para casa

Foto: Reprodução

Davi Lemos

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não conseguiu ter com a esposa Bia os dez dias de férias que havia programado para gozar em Miami, nos EUA. A viagem ao exterior logo após a imposição de medidas mais duras de isolamento social impostas desde o dia 22 tiveram uma repercussão muito ruim principalmente nas redes sociais. No mesmo dia em que pôs os pés em Miami, deixando Rodrigo Garcia (DEM) como governador em exercício, o tucano teve que retornar.

Desculpas

Ainda com olheiras, Doria postou no Twitter, na tarde desta quinta-feira (24), um vídeo no qual pede desculpas “aos brasileiros de SP”; ele já falava direto do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Dizendo não ter “compromisso com o erro”, o governador paulista disse que a razão oficial para o retorno super antecipado foi a apresentação iniciais do Covid por Garcia.

Infeliz coincidência

O governador também disse que as medidas restritivas não são impostas ou monitoradas por ele, mas definidas pelo Centro de Contingência do Covid-19, que é composto por 20 médicos – nos dias 25, 26 e 27 de dezembro e de 1 a 3 de janeiro, o estado entra na fase vermelha temporária, quando só serviços essenciais poderão abrir como postos de combustíveis, mercados, padarias, farmácias, lavanderias e hotéis. Doria informou ainda que o compromisso na Flórida já estava previsto há algum tempo: ele realizaria duas conferências e aproveitaria dez dias de folga. Houve uma “infeliz coincidência”, alegou.

24 de dezembro de 2020, 18:06

Compartilhe: