quinta-feira, 29 de outubro de 2020

Rapidinhas: Os voos solos dos bolsonaristas em Salvador

Foto: Reprodução

Reportagem Toda Bahia

Quem passa pelo comitê de campanha do vereador Alexandre Aleluia pode até esquecer que ele é filiado ao DEM e integra a base de apoio do prefeito ACM Neto, cujo candidato à sucessão é o vice-prefeito Bruno Reis. Talvez a intenção do edil seja realmente essa: afastar-se dos antigos padrinhos e firmar-se como nome de Bolsonaro na capital baiana. Com alusão ao “Aliança pelo Brasil”, ideia de partido bolsonarista que não vingou por falta de apoio popular e assinaturas, Aleluia quer a reeleição. No Facebook, Aleluia também deu destaque a matérias que mostram quem ele escanteou Neto e usa foto do presidente em material de campanha.

Cada um por si…

Como a rejeição a Jair Bolsonaro em Salvador é grande e chega a 66%, com a apenas 17% de aprovação, é natural observar a desconexão entre as candidaturas ditas bolsonaristas na capital: afinal, farinha pouco, meu pirão primeiro. Único prefeiturável que assume a alcunha de bolsonarista em Salvador, Cézar Leite (PRTB) não consegue o apoio explícito de todos os candidatos a vereador ou parlamentares baianos ligados ao capitão reformado. Por enquanto, conseguiu o apoio do deputado estadual Capitão Alden (PSL) – que também queria o Aliança pelo Brasil – e do mensaleiro condenado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB.

…e Bolsonaro por todos?

Também bolsonarista, a deputada estadual Talita Oliveira (PSL) tenta eleger o esposo Walter Peixoto vereador, o que pode ser seu primeiro grande feito no mandato resumido basicamente a postagens em redes sociais – colegas da bancada de oposição ao governador Rui Costa (PT) inclusive cobraram da deputada participação nos debates e discursos na Casa. Peixoto é filiado ao DC, que integra a coligação majoritária que busca eleger Bruno Reis, mas, assim como Aleluia, o esposo de Talita só fala em Bolsonaro.

Tapas e nada de beijos

O cenário de poucos votos para bolsonaristas na capital torna difícil vislumbrar a formação de uma bancada que defenda, harmonicamente, os mesmos princípios. Sempre há quem lembre que Alexandre Aleluia é do DEM (que, para bolsonaristas, é um partido de esquerda); que Cézar Leite era do PSDB (ser tucano é o mesmo que ser petista); que Talita Oliveira já fez campanha para Geddel Vieira Lima – não falta fogo amigo (ou inimigo) nas fileiras do capitão. E será um salve-se quem puder até novembro.

29 de setembro de 2020, 19:02

Compartilhe: