sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Rapidinhas: O incansável Edvaldo Brito

Foto: Reprodução/Facebook

Davi Lemos

Incansável. É o que se pode dizer do vereador Edvaldo Brito (PSD), de 82 anos. Na mesma semana em que uma proposta de Reforma Tributária foi apresentada pelo ministro Paulo Guedes (Economia) no Congresso Nacional, Brito lançou, aqui em Salvador, um Curso Popular de Tributos, cujo primeiro módulo será sobre o conceito de tributação, poderá ser acompanhado a partir de 1º de agosto (um sábado, às 11h), nas redes sociais do edil. “Um povo esclarecido sabe melhor cobrar os seus direitos, sabe cobrar a aplicação do seu patrimônio transferido para os governantes”, disse Edvaldo Brito.

O curso

O segundo módulo do curso, na semana seguinte, versará sobre História dos Impostos; os dois módulos seguintes serão sobre taxas e contribuições, ressaltando a diferença entre elas. No quinto e último módulo, o jurista dirá se os impostos são bem cobrados e aplicados, se, de fato, melhoram a vida dos cidadãos. Edvaldo Brito, há uma semana, manifestou insatisfação com a não aprovação de emendas à Política Municipal de Inovação enviadas pelo Executivo; disse que a maioria dos edis se transformaria em “Mané Gostoso” do prefeito, ou seja, uma espécie de marionete. Brito não se conformaria a esse papel.

No Congresso

Sobre a proposta de Reforma Tributária entregue por Guedes no Congresso, as reações não são boas a ela. Um dos ex-aliados de Jair Bolsonaro, o senador Major Olímpio (PSL/SP) disse hoje, nas redes sociais, que “a proposta encaminhada pelo Governo vai na contramão da geração do emprego, aumentando drasticamente a carga tributária das empresas que mais contratam”.

Sintonia

Ainda ontem, o deputado federal João Roma (Republicanos/BA) defendeu a necessidade de diálogo a respeito da reforma. “Se não existir realmente uma sintonia entre governo, Senado e Câmara, não vamos conseguir aprovar essa reforma ainda no segundo semestre, o que seria essencial para ajudar o Brasil a superar as mazelas dessa pandemia”. Roma ressaltou que existem 500 mil portarias e regramentos sobre matérias tributárias, o que torna o sistema confuso. Voltando à Câmara Municipal, infere-se que cursos como o do Professor Edvaldo Brito tornam-se ainda mais necessários.

22 de julho de 2020, 19:01

Compartilhe: