quinta-feira, 4 de junho de 2020

Rapidinhas: O discurso de Bolsonaro sobre a covid e os desdobramentos

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Da Redação

O discurso em rede nacional do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mantendo um tom mais ameno que o utilizado em oportunidades anteriores, não faz cessar os movimentos, ainda que minoritários no Congresso, em favor de um processo de impeachment ou afastamento. Parlamentares ouvidos por Toda Bahia afastam essa possibilidade, embora ressaltem que a atuação do presidente tem causado mais prejuízos que proporcionado a unidade necessária para a gestão da crise da covid-19.

Impeachment

Um pedido de impeachment contra o presidente Bolsonaro foi protocolado na Câmara pela deputada federal Sâmia Bonfim (PSOL/SP) com um total de um milhão de assinaturas colhidas virtualmente. Segundo o deputado federal João Roma (Republicanos/BA), esse movimento é restrito à esquerda. “Não há fatos objetivos. Não é por qualquer desagrado (com a fala do presidente) que deve haver afastamento de quem foi eleito democraticamente”, salientou Roma. O deputado baiano salientou que o momento pede que sejam evitados radicalismos, tanto o que pede a abertura total do comércio quanto o fechamento total.

Impopularidade

A opinião de parlamentares é a de que o governo consegue andar a despeito das manifestações do presidente da República. “O que vejo é que (o presidente) teve uma queda grande de popularidade”, avaliou João Roma. O parlamentar considerou ainda que o discurso do presidente na noite de terça-feira (31) voltou a ser desnecessário. “Pareceu uma briga para mostrar quem está certo. O presidente não está sendo feliz nos pronunciamentos à nação”, observou o parlamentar baiano.

01 de abril de 2020, 20:11

Compartilhe: