terça-feira, 20 de abril de 2021

Rapidinhas: Lula faz Bolsonaro ir a Putin por vacinas e a empresários por apoio

Foto: Reprodução

Davi Lemos

A aproximação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o colega Vladmir Putin (Rússia) para iniciar diálogos para aquisição das vacinas Sputnik V, no dia em que o Brasil supera 4 mil óbitos em um único dia por conta da covid-19, é uma nova estratégia do morador do Palácio do Planalto para deixar a fama de “negacionista”. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não aprovou ainda o imunizante russo devido à alegada falta de documentos das fases de testes. Bolsonaro ainda tem encontro com empresários na tentativa de não deixar escapar o apoio de quem ameaça abraçar o autointitulado “campo democrático”. A ironia do destino é que este campo pode se aglomerar no entorno do ex-presidente Lula.

Pressão eleitoral

Embora pressionado para conseguir mais vacinas e também para promover pessoalmente a campanha de vacinação, Bolsonaro somente disse que avaliaria se tomaria a vacina contra a covid após verificar a vacinação de todos os brasileiros. Setores da economia e da politica, inclusive ministros do governo como Paulo Guedes (Economia), já haviam mencionado a necessidade de vacinação em massa para a retomada econômica; a única pressão eficaz foi a volta da elegibilidade de Lula e o retorno do petista à disputa eleitoral. Esse cenário em que o sujo falará do mal lavado é visto como o ideal por Bolsonaro, uma vez que a disputa entre extremos autoritários será cenário propicio para disputa muito mais emocional que racional – aliás, o Brasil não tem tradição em eleições onde a racionalidade e veracidade sejam o fio norteador.

Guerra Santa

No STF, esta quarta-feira (7) será ocasião de um “debate santo” sobre o fechamento ou não dos templos religiosos. O dissenso foi aberto pelos ministros Nunes Marques, que concedeu liminar para a reabertura dos templos (com as devidas medidas sanitárias e de distanciamento), e Gilmar Mendes, que derrubou decisão que permitia a realização de cultos em São Paulo. O ministro Luiz Fux deve pautar a matéria para apreciação pelo plenário; conforme noticiado por alguns veículos de mídia nacional, os movimentos de Marques têm causado desconforto. Embora não mencionem os incomodados, fica claro que os melindrados são os que compõem o time de Mendes – Lewandowsky, Carmen Lúcia, etc. – e outros como Marco Aurélio que chegou a se referir a Nunes como “o novato”.

Consenso?

Por falar em consenso, nesta terça-feira (6), Dia Internacional da Atividade Física, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, fez uma postagem no Twitter na qual exortou “países, cidades, comunidades e pessoas” a não ignoraram as atividades físicas; Adhanom criticou o fechamento de ginásios e outros espaços propícios à pratica esportiva durante a pandemia, ressaltando que a atividade física eh importante para a saúde física e emocional. Aqui no Brasil, os espaços para a prática de esportes são os primeiros a fechar após medidas tomadas por governadores e prefeitos. E assim seguiremos adiante, ouvindo a “ciência” que convier.

06 de abril de 2021, 21:29

Compartilhe: