terça-feira, 20 de abril de 2021

Rapidinhas: Era melhor ficar calado…

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Davi Lemos

A morte do senador Major Olímpio (PSL/SP) por Covid-19 causou comoção e expressões de pesar em políticos de diferentes matizes ideológicas, mas nenhuma delas, até o momento, causou espanto como a postada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/SP): “Em que pese termos diversas discordâncias, não torço pela morte de ninguém”, escreveu o parlamentar no Twitter, nesta quinta-feira (18). Logo depois concluiu: “Que Deus conforte a família e amigos do Senador Major Olímpio neste difícil momento”. Pela primeira parte do escrito, era melhor não ter desejado condolências pela morte do senador.

Outras manifestações

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos/RJ), irmão de Eduardo e também filho do presidente Jair Bolsonaro, seguiu o protocolo: “Meus sentimentos a familiares e amigos do senador Major Olímpio. Que Deus o tenha e conforte a todos”, escreveu, também no Twitter. Mas o senador foi alvo de críticas de internautas, muitos dos quais culpam o clã Bolsonaro inclusive pela morte do senador paulista. Outros políticos como o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, e o governador de São Paulo, João Doria, também lamentaram a morte de Olímpio.

Escândalo

A revista Crusoé informou, logo após a morte do Major Olímpio, que a senha do parlamentar foi usada para inserir emendas no projeto de lei que cria o Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem, conhecido como BR do Mar. Foram, segundo a revista, sete emendas protocoladas na quarta-feira (17), quando o senador já estava intubado. A ação, de acordo com a publicação, causou estranheza em outros parlamentares, já que Olímpio já havia classificado o projeto como “embuste”. Lamentável.

Respiradores

O Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed) demonstrou nesta quinta-feira (18) que não quer trégua com o governador Rui Costa e que vê nas ações do petista um motivo para o caos na saúde que se instalou na Bahia e no país por conta da pandemia por Covid. Em nota publicada na tarde desta quinta (18) na página do sindicato, o título era: “Rui Costa é responsável por 54,8 milhões de reais jogados no ralo” – referência era à compra de 300 respiradores em nome do consórcio Nordeste junto à Hempcare (R$ 10 milhões pagos pela Bahia) e mais R$ 44,8 milhões à Ocean 26. “Todo recurso é valioso para salvar vidas”, fecha a nota do Sindimed.

18 de março de 2021, 19:59

Compartilhe: