quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Rapidinhas: A barba, o cabelo, o bigode e o caminho para 2022

Foto: Antônio Augusto/Ascom/TSE

Davi Lemos

As reeleições em Vitória da Conquista e em Feira de Santana dos prefeitos emedebistas Herzem Gusmão e Colbert Martins deram ao prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) a pavimentação de um cenário de disputa com chances de vitória nas eleições de 2022, se ele decidir disputar o Palácio de Ondina. Como se brincou, foi “barba” (Bruno Reis, em Salvador, já no primeiro turno), “cabelo” (Colbert) e “bigode” (Herzem) em três importantíssimas cidades baianas. Além disso, o DEM elegeu dez prefeitos nos 30 maiores colégios eleitorais.

Ventos favoráveis

Ao comentar a vitória dos aliados, o prefeito ACM Neto sinalizou que “novos ventos começam a soprar” e que “os baianos estão preparados para construir um futuro ainda muito melhor”, como escreveu ontem no Twitter, logo após a confirmação dos resultados em Conquista e em Feira. Após as eleições de 2016, houve a mesma expectativa, tanto que acreditava-se que o candidato ao governo seria Neto e não Zé Ronaldo (DEM), que deixaria a Prefeitura de Feira para, inicialmente, concorrer ao Senado. Em 2022, Neto também estará sem mandato e mais livre para escolher o rumo a tomar.

Abrir os olhos

O governador Rui Costa (PT), que amargou a derrota em Salvador e viu neste domingo (29) seus candidatos em Feira e em Conquista perderem a disputa após liderarem no primeiro turno, precisa colocar as barbas de molho e enxergar a realidade. Em Salvador, a campanha petista falhou ao afirmar que um prefeito bem avaliado havia feito pouco – a população vê a realidade – e agora Rui prefere dizer que o PT aumentou os votos nas eleições municipais entre 2016 e 2020. Melhor abrir os olhos – e os ouvidos também para escutar os aliados que já demonstravam insatisfação mesmo antes da contagem dos votos.

30 de novembro de 2020, 19:01

Compartilhe: