quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Pregando renovação política, Tabata Amaral pagou R$ 23 mil a namorado por serviços prestados durante campanha

Foto: Agência Câmara

Redação

A deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) pagou R$ 23 mil ao namorado, o colombiano Daniel Alejandro Martínez, com dinheiro do fundo partidário de sua campanha eleitoral do ano passado, para serviços de “análise estratégica” e “atendimento ao eleitor”.

O documento acessado pela revista Veja aponta que o Tribunal Superior Eleitoral relata pagamento e detalha para que Martínez foi contratado e o local de trabalho. No endereço informado, funciona um coworking que, de acordo com a publicação, nunca foi utilizado como comitê para a então candidata.

A resposta veio por meio de nota de sua equipe, que afirma que “a campanha de Tabata Amaral cumpriu as leis eleitorais na contratação de seus serviços e pessoas. Todas as informações são públicas e estão no portal do TSE.”

Renovação política é uma das bandeiras defendidas pela deputada, sendo inclusive um de seus motes de campanha. Em uma ocasião, Tabata chegou a afirmar que “renovação na política não passa por trocar o nome das coisas nem o rostinho no poder, mas por uma mudança de práticas”.

Cid Gomes defende permanência de Tabata no PDT

Sob ameaça de ser expulsa do partido, junto com outros sete parlamentares que votaram em favor da reforma da Previdência, contrariando a orientação do PDT, Tabata encontrou alguns defensores entre seus correligionários, entre eles o senador Cid Gomes (CE).

Para ele, a deputada ainda não tem “traquejo” por ser nova na política e diz que o PDT deveria ter uma “dose de boa vontade”. No entanto, Cid defende que Tabata passe agora a ter a “humildade” de se comprometer com as orientações partidárias. “Se ela tinha posição contrária, há instâncias às quais ela poderia ter recorrido internamente”, disse.

 

20 de julho de 2019, 12:46

Compartilhe: