sábado, 6 de junho de 2020

“O presidente Jair Bolsonaro vem subestimando a seriedade do coronavírus”, diz ACM Neto

Foto: Valter Pontes

Thyara Araujo

O prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro de defender o fim do isolamento social em meio à pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista a Tales Faria, colunista do Uol, por Skype, Neto disse ainda que as declarações do pronunciamento feito pelo presidente na noite de terça-feira (24) foram “ofensivas às famílias que já tiveram vítimas do coronavírus, vítimas fatais”.

“Com todo o respeito que eu tenho à instituição Presidência da República, e até a boa relação pessoal que sempre mantive com o presidente, nós não vamos aceitar essa sugestão. Eu lamento o pronunciamento que ele fez. Na minha opinião, desde o início desse processo o presidente Jair Bolsonaro vem subestimando a seriedade do coronavírus. No meu caso, por exemplo, eu não tenho nenhum enfrentamento político com ele. Todos sabem que, além de prefeito da cidade de Salvador, sou o presidente nacional do Democratas, o partido que deu todo o suporte para o avanço da agenda de reformas do governo do presidente Jair Bolsonaro. Mas nós não temos como aceitar essa posição do presidente. Eu venho dizendo, desde o princípio, que se todo o nosso esforço tiver como resultado salvar uma vida, já terá valido a pena. Imagine milhares e milhares de vidas. O Brasil pode ver o que está acontecendo em outros países. A gente não pode permitir que aqui se repita o que ocorreu na Itália, por exemplo. Porque a rede pública de saúde do Brasil, mesmo somada à rede privada, não tem capacidade de dar assistência à quantidade de casos que teria sem a prevenção. E aí, eu, como prefeito, vou escolher quem vive e quem morre? Ou vou permitir que os médicos da minha rede hospitalar escolham? Não. Se eu puder preservar as vidas, eu vou até o fim desse processo”, disse Neto.

Para ele, “as declarações do presidente, de certa forma, são ofensivas às famílias que já tiveram vítimas do coronavírus, vítimas fatais. São ofensivas às pessoas que estão se cuidando, se tratando nesse momento, inclusive muitas delas internadas em leitos de UTIs de todo o país, e a toda a população que está com medo”.

O demista elogiou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Até então ele vem tendo uma postura exemplar, que merece o aplauso e o apoio de todos nós”.

Neto também disse que é contra o adiamento das eleições de outubro. “A alteração só se justificaria se nós chegássemos no período das convenções, portanto a partir do dia vinte de julho, sem condições de fazer política no país. Aí, caso isso aconteça, paciência”, afirmou.

29 de março de 2020, 15:47

Compartilhe: