quinta-feira, 16 de julho de 2020

MPF abre inquérito para apurar se presidente da Fundação Palmares cometeu crime de racismo

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Da Redação

O Ministério Público Federal (MPF) solicitou, nesta sexta-feira (5), abertura de inquérito na Polícia Federal (PF) para apurar se o presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, cometeu crime de racismo.

A investigação terá como base as declarações se Camargo, captadas em um áudio, em que o jornalista chama o movimento negro de “escória maldita”, diz que não dará verba para “macumbeiro” e ofende uma mãe de santo que trabalhou na Palmares antes de ele assumir o cargo.

Na ocasião, Camargo também disse que Zumbi era “filho da puta que escravizava pretos”, criticou o Dia da Consciência Negra e falou em demitir “esquerdista”.

Segundo a denúncia encaminhada pelo MP, as falas ditas em uma reunião com assessores representam crime de racismo contra todos os praticantes de religião de matriz africana.

06 de junho de 2020, 07:01

Compartilhe: