quinta-feira, 25 de abril de 2019

Morre ex-goleiro Gordon Banks, autor da ‘defesa do século’ em lance com Pelé

Gordon Banks, campeão do mundo pela Inglaterra em 1966, morreu nesta terça-feira. O ex-goleiro é conhecido por ter feito aquela que é considerada a maior defesa da história do futebol, em lance protagonizado ao impedir um gol de cabeça de Pelé, na Copa de 1970. Sem especificar as causas da morte, o Stoke City, clube que defendeu entre 1967 a 1972, confirmou a informação: “Nós estamos devastados em perdê-lo, mas temos tantas boas memórias e não poderíamos ter mais orgulho dele.”

Gordon Banks, campeão do mundo pela Inglaterra em 1966 (Foto:Fifa)

Banks estava com 81 anos. O goleiro foi titular em todos os jogos da única conquista de Copa do Mundo da Inglaterra, em 1966, o que incluiu a final contra a então Alemanha Ocidental, vencida por 4 a 2, na prorrogação. Já em 1970, a equipe não foi além das quartas de final, quando caiu para os alemães ocidentais – o jogo da defesa histórica no cabeceio de Pelé foi válido pela fase de grupos e terminou com vitória brasileira por 1 a 0, graças a um gol de Jairzinho. Pelas redes sociais, Pelé fez enviou condolências à família de Banks e relembrou a memorável defesa do inglês na Copa de 1970.

Banks impediu um gol de cabeça de Pelé, na Copa de 1970 (Foto: Fifa)

No total, Banks disputou 73 jogos por sua seleção nacional, o que incluiu, também, a participação na Eurocopa de 1968. Um dos maiores nomes da história da sua posição ao lado de lendas como Yashin e Zoff, Banks foi eleito o melhor goleiro do ano em seis oportunidades pela Fifa.

Ele defendeu o Chetersfied, o Leicester e o Stoke na sua carreira na Inglaterra, tendo sido campeão da Copa da Liga Inglesa em duas oportunidades, em 1964 e 1972. Sua carreira, porém, foi atrapalhada por um acidente de carro em 1972, que lhe tirou a visão de um dos olhos. Fora do futebol inglês, teve passagens por Cleveland Stokers e Fort Lauderdale Strikers, ambos nos Estados Unidos, o Hellenic, na África do Sul, e o St Patrick’s Athletic, na Irlanda.

Em 2015, foi revelado que Banks realizava tratamento contra câncer renal. Apesar disso, a causa da sua morte não foi detalhada pelo Stoke. “É com grande tristeza que anunciamos que Gordon faleceu tranquilamente durante a noite”, afirmou o Stoke.

Confira texto publicado hoje por Pelé nas redes sociais:

“Para muitas pessoas, a memória de Gordon Banks é definida pela defesa que ele fez contra mim em 1970. Entendo o porquê.

A defesa foi uma dos melhores que já vi – na vida real e em todos os milhares de jogos a que assisti.

Quando você é um jogador de futebol, sabe imediatamente como acertou na bola. Acertei o cabeçada exatamente como eu esperava. Exatamente onde eu queria que fosse. E eu estava pronto para comemorar.

Mas então esse homem, Banks, apareceu à minha vista, como uma espécie de fantasma azul. Ele veio do nada e fez algo que eu achava que não era possível. Ele defendeu minha cabeçada, de alguma forma, para cima. E eu não pude acreditar no que vi. Mesmo agora, quando assisto, não consigo acreditar. Eu não posso acreditar como ele se moveu tão de longe, tão rápido.

Eu marquei tantos gols na minha vida, mas muitas pessoas, quando me conhecem, sempre me perguntam sobre esse lance. Embora fosse realmente fenomenal, minha memória de Gordon não é definida por isso – é definida por sua amizade. Ele era um homem gentil e caloroso.

Eu estou feliz que ele tenha salvo minha cabeçada – porque esse ato foi o começo de uma amizade entre nós que eu sempre apreciarei. Sempre que nos encontramos, era como se nunca tivéssemos nos separado.

Eu tenho uma grande tristeza em meu coração hoje e envio condolências à família de quem ele tanto se orgulhava.

Descanse em paz, meu amigo. Sim, você era um goleiro com magia. Mas você também foi muito mais. Você era um ótimo ser humano.”

Confira o lance:

12 de fevereiro de 2019, 14:03

Compartilhe: