segunda-feira, 20 de maio de 2019

Moradores de Brejões sofrem com constante falta de água

Foto: Toda Bahia

Thyara Araujo

Os moradores de Brejões, no Sudoeste da Bahia, estão sofrendo com a constante falta de água na região. Segundo relatos feitos ao Toda Bahia na tarde desta sexta-feira (15), a situação sempre existiu mas piorou a partir de 2017. Os moradores afirmam que a conta de água chega normalmente em suas casas, mesmo com a irregular prestação do serviço por parte da Embasa.

Em entrevista ao Toda Bahia, a aposentada Clívia de Sales, 61 anos, que mora no centro de Brejões, explicou que o problema é antigo na cidade. “Essa falta de água sempre existiu aqui, mas percebemos que piorou há dois anos. Agora há pouco, eu liguei para a Embasa pra fazer uma nova reclamação e eles disseram que não tem motivo para não estar caindo água. Só as casas que ficam perto do reservatório de água é que estão sendo abastecidas”, afirma.

Segundo ela, no centro as pessoas ficam de 8 a 9 dias seguidos sem água, enquanto há casas próximas que chegam a passar de 20 a 30 dias nessa situação. Para driblar os transtornos, a solução é contar com a colaboração de vizinhos que ainda recebem água, mesmo que em pouca quantidade. É com a ajuda do marido, o autônomo Severiano da Fonseca, 63 anos, que dona Clívia consegue ter água para cuidar da higiene pessoal e dos afazeres domésticos. “Meu marido precisa ir na roça buscar água com os vizinhos que nos cedem. Temos um tanque de mil litros em casa, mas a água não chega. Quando chega, não dá conta. O jeito é encher baldes durante todo esse tempo”, conta. Clívia afirma que carros-pipa não estão fazendo os abastecimentos nas residências.

Ainda de acordo com ela, diversas manifestações no município já foram feitas para alertar para o problema histórico, mas que continua sem solução. “Estamos, inclusive, organizando uma nova manifestação. Vamos mobilizar moradores, comerciantes, estudantes e professores nesta luta”, afirma. Ainda não há confirmação da data do protesto.

Mesmo com a falta de água, as contas não param de chegar. “É tanto transtorno, mas mesmo assim as contas da Embasa chegam e eu não fico um dia em atraso. Essa situação é vivida pela maioria dos moradores daqui”, relata.

O Toda Bahia tentou entrar em contato com a Embasa, mas não obteve sucesso.

Ministério Público

Em 2017, o  Ministério Pública fez uma denúncia à Justiça contra a constante falta de água no município. Em janeiro do mesmo ano foi realizada uma audiência pública para discutir a questão com representantes da Embasa, com a Prefeitura e Câmara dos Vereadores, além dos moradores. O então prefeito de Brejões, Alan Andrade Santos, na época, afirmou ao órgão que a prefeitura empenhou esforços para solucionar o problema, que se tentou construir poços artesianos, mas salientou que só uma barragem poderia resolver o problema. O então presidente da Câmara de Vereadores, Murilo Antônio Cajáiba, disse que foi apresentado um relatório sobre a situação hídrica do município a diversos órgãos, mas que não teve respostas. Também disse que era necessário recuperar e ampliar a barragem.

Já o Inema, por sua vez, destacou que a cidade tem 12 outorgas de águas concedidas, e do total, 10 estão com licenças vencidas. Uma das licenças em validade é para irrigação e pertence a Via Bahia. As outorgas fornecem 106 milhões de litros de água por dia.

A Embasa também foi ouvida pelo MP. Em suas considerações, afirmou que não há “caos hídrico na cidade, que os estudos técnicos iniciais não demonstravam a necessidade de barramento para acumulação; que há cerca de 3 anos, em razão da estiagem, foi verificada a necessidade de fazer um prolongamento da captação, que para isso houve indenização do proprietário; que há um problema de estiagem e a Embasa não fabrica água, apenas distribui a água”. A empresa ainda pontuou que é preciso conscientização da população, admitiu que há problemas operacionais na distribuição e que há água suficiente para abastecer.

15 de março de 2019, 19:26

Compartilhe: