quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Mesmo com 11 pré-candidaturas, Vitória da Conquista deve ter novamente polarização entre Herzem e Zé Raimundo

Foto: Reprodução/Blog do Anderson

Reportagem Toda Bahia

Embora Vitória da Conquista tenha 11 pré-candidatos, as eleições deste ano devem ficar novamente polarizadas entre os dois nomes que disputaram o segundo turno no pleito de quatro anos atrás: o prefeito Herzem Gusmão (MDB), que busca a reeleição, e o deputado estadual Zé Raimundo (PT), que já governou a cidade de 2002 a 2009.

O município ainda não tem pesquisas oficiais divulgadas recentemente, mas, nos bastidores, integrantes dos dois grupos avaliam que a luta está acirrada. Em 2016, Herzem conseguiu vencer a eleição e quebrou um ciclo de 20 anos de governos petistas em Conquista, que era o principal reduto do partido na Bahia. Agora, os dois projetos ficarão novamente frente a frente.

Nos bastidores, a aposta é que dificilmente a eleição será vencida no primeiro turno por um ou outro. Isso porque, além do grande número de pré-candidatos, a disputa deste ano promete ser mais acirrada do que em 2016, quando Herzem venceu o segundo turno com relativa vantagem.

Além dos dois rivais, a cidade tem outros nove pré-candidatos: David Salomão (PRTB), Cabo Herling (PSL), Marcell Moraes (PSDB), Romilson Filho (PP), Abel Rebouças (PSD), José Mozart (PSB), Maris Stella (REDE), Ferdinand Martins (PSOL) e Fabrício Falcão (PCdoB).

Na batalha entre Herzem e Zé Raimundo não há favoritos, garantem políticos locais. E deve ser uma batalha entre mais uma bolsonaristas e petistas. Herzem começou o governo com uma enxurrada de críticas, mas conseguiu se recuperar e tem crescido na avaliação da gestão nos últimos meses. Embora não admita publicamente ser bolsonarista, ele diz claramente ser apoiador do governo e de suas pautas.

Zé Raimundo, por sua vez, representa o projeto petista que governou a cidade por 20 anos e, naturalmente, é crítico do governo Bolsonaro. A expectativa é que esta pauta nacional esteja presente no debate local.

Há dúvidas, contudo, se Zé Raimundo seria mesmo o melhor nome do PT para a disputa. Além dele, o ex-prefeito Guilherme Menezes e o deputado federal Waldenor Pereira estavam no páreo. Menezes, afirmam fontes da cidade, declinou e Pereira não estava muito interessado na disputa.

Contexto

De todos os 11, seis ou sete devem de fato levar suas candidaturas à frente. Zé Raimundo, por exemplo, pode ter como vice o também deputado estadual Fabrício Falcão, que provavelmente irá recuar de sua candidatura, segundo fontes da cidade.

Entre os demais, os mais expressivos são David Salomão (PRTB), Cabo Herling (PSL) e o deputado estadual Marcell Moraes (PSDB). Contudo, não têm força suficiente para fazer frente ao atual prefeito ao PT na cidade, avaliam políticos locais.

Nos últimos dias, o deputado Marcell Moraes tem dado declarações sobre o pleito e, embora não seja unanimidade no PSDB local, insiste em levar a candidatura à frente. Entretanto, essa candidatura dele é indefinida e pode naufragar, uma vez que o PSDB da cidade apoia o prefeito Herzem Gusmão.

David Salomão (PRTB) e Cabo Herling (PSL) são incógnitas. O primeiro, muito polêmico, é vereador da cidade e preside a Comissão de Constituição e Justiça. Antipetista declarado, é apoiador do presidente Jair Bolsonaro e opositor ferrenho de Herzem. Recentemente, até pediu o impeachment do prefeito.

Outsider, Cabo Herling não tem a musculatura e visibilidade de outras candidaturas, mas conta já conseguiu atrair Avante e PDT e conta com o apoio do PSL, partido que terá uma das maiores fatias do fundo eleitoral e do tempo de propaganda.

06 de setembro de 2020, 10:19

Compartilhe: