terça-feira, 19 de junho de 2018

Mercado de Trabalho – Advocacia

Por Marcilio Menezes*

Historicamente o setor terciário (serviços) é responsável por adicionar valor ao produto.

Como complementar à atividade industrial e agrícola, este setor experimentou, sobretudo durante o século XX, a implementação de práticas adotadas pela indústria, pós revolução industrial.

A produção em larga escala, padronizada e de baixo custo, associada a forte concorrência, forçou o mercado de serviços a “comoditizar” suas atividades.

Profissionais liberais, vendedores, prestadores de serviço de toda natureza passaram a implementar ritmos acelerados de atendimento, “normatizados” por procedimentos pré-estabelecidos, transformando o seu serviço em “produto”.

Como produto, o diferencial seria o preço; volume de “entrega” e tempo de “entrega”.

Ao tentar adequar-se como tal, muitos advogados acreditaram que o melhor caminho para se manter no mercado, seria reduzir o preço dos seus serviços com promessa de agilidade e produtividade.

Esta pode ser uma estratégia bem-sucedida por algum tempo, mas certamente expõe o profissional ao risco do aviltamento dos seus serviços.

“Serviço caro é aquele que não traz ao cliente a satisfação que ele espera”

Neste contexto, notadamente em tempos de crise econômica e crescimento exponencial do número de advogados no mercado, precisamos ter posicionamento firme e olhos atentos, se pretendemos construir uma carreira de sucesso.

Grandes bancas são sempre um referencial. Praticam advocacia de excelência; Retém talentos; Investem em inovações tecnológicas e buscam novas e promissoras áreas de atuação. Criaram e consolidaram as suas marcas. É um modelo de negócio bem sucedido. Mas existem outros modelos.

Não sendo você um profissional que possa fazer altos investimentos, um bom começo é identificar um nicho de mercado; Elaborar um planejamento estratégico; Diferenciar-se pela qualidade dos seus serviços e prestar atendimento personalizado e com preços compatíveis com o seu nível técnico. Depois de algum tempo, você seguramente terá a sua carteira de clientes.

*Marcilio Menezes é advogado, pós-graduado em Direito Empresarial pela FGV e sócio do Escritório Menezes & Mascarenhas Advocacia e Consultoria Jurídica.

08 de Março de 2018, 15:27

Compartilhe: