segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Lava Jato investiga núcleo de confiança e campanhas de Dilma

Foto: Marcello Casal Jr/Arquivo Agência Brasil

Redação

Operações deflagradas no último dia 23 de agosto e na terça-feira (10) têm como alvo pessoas ligadas diretamente à ex-presidente Dilma Rousseff. As investigações da Lava Jato estão relacionadas ao financiamento de suas duas campanhas presidenciais, de 2010 e 2014.

A operação do dia 23, 64ª etapa da Lava Jato, teve como base  acusações do ex-ministro Antonio Palocci. Já a 65ª etapa, de ontem (10), levou à prisão de Márcio Lobão, filho do ex-senador e ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão (MDB), que foi encarregado por Dilma de tocar a obra de Belo Monte.

Segundo a Folha de S. Paulo, as operações abrangem tanto a parte de contratos da Petrobras como das obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, principal bandeira da ex-presidente no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Dilma ainda não foi alvo de buscas ou de outras medidas cautelares. Em resposta, sua assessoria não comentou as operações, mas voltou a afirmar que Antonio Palocci “mente mais uma vez e, como das outras vezes, sequer apresenta provas ou indícios”.

11 de setembro de 2019, 09:01

Compartilhe: