segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Lava Jato ignorou fraude apontada por Cunha envolvendo parlamentar baiano, diz UOL

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Redação

Novos diálogos vazados mostram que procuradores da Operação Lava Jato optaram por não prosseguir com uma denúncia de manipulação de escolha do relator do processo de cassação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB-RJ) mesmo considerando-a importante. O relato da suposta fraude foi feito pelo próprio Cunha ao propor delação premiada, que não foi aceita pelo Ministério Público Federal. O ex-deputado está preso desde 2016.

Nos diálogos obtidos pelo site The Intercept Brasil e publicados em reportagem do UOL nesta terça-feira, o procurador Orlando Martello mencionou supostas “bolas mais pesadas no sorteio da relatoria” do Conselho de Ética. A denúncia, porém, não foi averiguada.

Segundo o UOL, pessoas ligadas a Cunha confirmaram que sua proposta de colaboração premiada com a Lava Jato incluía essa denúncia de fraude na escolha de relatores no Congresso. Ainda de acordo com a reportagem, Cunha acusou o ex-presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PR-BA), de indicar um relator mais favorável ao próprio Cunha.

10 de setembro de 2019, 09:01

Compartilhe: