sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Integrantes do governo criticam discurso de Guedes sobre aceleração de privatizações

Foto: Fabio Rdodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da Redação

O ministro da Economia Paulo Guedes defende a ideia de que o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) na Casa Civil era o que estava atrasando os planos de privatização de estatais. No entanto, de acordo com a coluna Painel da Folha de S. Paulo, esse discurso não encontra respaldo dentro do próprio governo.

Membros da Esplanada afirmam, de acordo com a coluna, que o Ministério da Economia sequer iniciou os estudos para vender estatais que já estão com a privatização autorizado, a exemplo dos Correios e Casa da Moeda.

A expectativa é de que o secretário Salim Mattar trabalhe ao lado de Marthar Seillier para acelerar as privatizações, que foram empacadas no primeiro ano da gestão Bolsonaro. Seillier integrava a Casa Civil e desembarcou na Economia com a migração do PPI para o comando de Guedes.

O governo encontra resistência, principalmente, com relação aos Correios. Segundo a Painel, o número 2 do Ministério da Ciência e Tecnologia e indicação de João Doria, Júlio Semeghini, é um nome dentro do governo que resiste à venda da estatal.

04 de fevereiro de 2020, 12:31

Compartilhe: