sábado, 11 de julho de 2020

Guedes é convencido a permanecer como ministro após ouvir que sua saída representaria fim do governo Bolsonaro

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da Redação

O ministro da Economia, Paulo Guedes, ameaçou deixar o cargo, mas, após uma reunião a portas fechadas com o presidente Jair Bolsonaro e com os ministros Augusto Heleno (GSI) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), voltou atrás e resolveu permanecer no governo.

O encontro foi realizado ontem e, segundo o site Congresso em Foco, o ministro continua inclinado a deixar o Planalto. Ainda segundo a reportagem, o argumento usado para dissuadi-lo foi de que sua saída poderia representar o fim precoce do governo Bolsonaro.

Após a reunião, Guedes teve encontros com os presidentes do Senado, Davil Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), além de líderes partidários para tentar amarrar com o Legislativo os principais pontos da pauta econômica em 2020.

O ministro se vê encurralado pela repercussão de suas próprias declarações e pelos cálculos políticos e eleitorais do presidente. Segundo o Congresso em Foco, um dos principais motivos da irritação do ministro hoje está na reforma administrativa. Guedes almeja fazer mudanças profundas nas regras do funcionalismo público, mas Bolsonaro tem se manifestado publicamente, afirmando que não pretende mexer com os atuais servidores.

Fonte próxima a Guedes diz que está “difícil segurar” e que, se realmente sair, vai expor seus verdadeiros motivos.

19 de fevereiro de 2020, 12:24

Compartilhe: