quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Faroeste: Em diálogo, Gesivaldo Britto acusa desembargadora de praticar “rachadinha”

Foto: Divulgação/TJ-BA

Redação

A coluna Satélite, do jornal Correio*, teve acesso a um trecho da transcrição de um  diálogo interceptado pela Polícia Federal, enviado ao Ministério Público Federal, entre o presidente afastado do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Gesivaldo Britto, e outro desembargador, que teve o nome preservado por não ser alvo das investigações.

De acordo com a publicação, Britto acusa uma colega da Corte de praticar a chamada “rachadinha” com servidores nomeados para cargos de confiança em seu gabinete. O MPF aponta que o desembargador foi flagrado acusando a colega de criar factoide para dificultar um processo de grilagem de terras no Oeste sob mira dos investigadores.

“Só que minha inteligência já chegou à conclusão que todos os servidores do gabinete dela, ela racha os salários”, disse Britto na ocasião. O nome da desembargadora também foi preservado, pois ela não é alvo das investigações.

Britto e outros três desembargadores foram afastados de seus cargos depois de deflagada a Operação Faroeste, no último dia 19, que apura venda de decisões judiciais no âmbito do TJ-BA, em casos envolvendo grilagem de terra no Oeste baiano.

02 de dezembro de 2019, 10:59

Compartilhe: