segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

Empresários investigados na Lava Jato viram delatores sobre caso envolvendo sede da Petrobras em Salvador

Foto: Reprodução

Da Redação

Os empresários Mário Seabra Suarez e Alexandre Suarez, alvos da Lava Jato, viraram delatores no caso envolvendo a “Torre da Pituba”, em Salvador. Eles fecharam acordo com a força-tarefa do Paraná e vão colaborar com o Ministério Público Federal (MPF) para dar explicações sobre a engenharia criminosa por trás da construção da sede da Petrobras na capital baiana. As informações são do site O Antagonista.

De acordo com o MPF, o empreendimento foi construído em meio a pagamentos de propinas de R$ 68 milhões pelas empreiteiras OAS e Odebrecht a ex-dirigentes da estatal petrolífera, do PT e do fundo Petros.

Marcos Felipe Mendes Pinto, filho de Paulo Afonso Mendes Pinto – empresário já morto que supostamente seria o responsável por pagar, junto de seu sócio, Mário Suarez – será o terceiro delator.

Os acordos, ainda de acordo com O Antagonista, já foram homologados pela 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba.

Sem Fundos

Mario Suarez foi um dos alvos da 56.ª Fase da Operação Lava Jato, denominada “Sem Fundos” e deflagrada em 2019. A Lava Jato aponta que houve fraude na contratação da empresa gerenciadora da obra (Mendes Pinto Engenharia), da responsável pelo projeto executivo (Chibasa Projetos de Engenharia) e das empreiteiras OAS e Odebrecht, que ficaram com 50,1% e 49,9% de participação na construção da sede.

Leia também:

Petros foi alertado que empresa era “fachada” na Torre da Pituba

Sede da Petrobras na Bahia custou 4 vezes mais, diz MPF

Dinheiro desviado da sede da Petrobras em Salvador teria financiado campanhas do PT

14 de janeiro de 2020, 15:55

Compartilhe: