domingo, 9 de maio de 2021

Em tempos de pandemia, Oscar se rende ao streaming

Foto: Divulgação

Da Redação

Longe de ser a única premiação do cinema, o Oscar é sempre a mais cobiçada (e a mais acompanhada por cinéfilos), já que os holofotes são apontados para a indústria cinematográfica mais poderosa do mundo, com alcance global e faturamentos bilionários. Geralmente entregue em fevereiro, este ano, a pandemia impôs mudanças. A 93ª edição do Oscar acontece neste domingo (25), logo mais, a partir das 20h.

Apesar da pandemia, a organização decidiu manter a cerimônia presencial, mas com muitas restrições, inclusive com relação ao tapete vermelho. É de esperar que nem todos os artistas indicados e/ou convidados compareçam presencialmente. Mas não foi apenas a dinâmica da cerimônia que mudou com a pandemia. Com salas de cinema fechadas mundo afora, o streaming passou a ser o principal canal de distribuição e acesso dos filmes.

Não à toa, o serviço de streaming mais popular até então, a Netflix, lidera o número de indicações. São 18 filmes da plataforma indicados em diversas categorias. O filme com mais indicações este ano, “Mank”, dirigido por David Fincher, é também da Netflix. A Amazon Prime está também representada com cinco filmes.

No entanto, o favorito da noite é um filme que não está em nenhum desses catálogos, e não tem estreia prevista para qualquer um desses serviços no Brasil. O drama “Nomadland”, de Chloé Zhao, é visto como possível vencedor, pelo menos, em categorias de peso, como as estatuetas de melhor filme e melhor direção.

Salas X Plataformas

Esse favoritismo revela que, apesar da rendição ao streaming, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas ainda está tentando preservar a experiência mais reservada das salas de cinema. Num passado recente, diretores como Steven Spielberg e Pedro Almodóvar se manifestaram contra essa reverência a filmes que são lançados diretamente nas plataformas, sem passar pelas salas, colocando-os no mesmo patamar das obras que seguem a jornada tradicional.

Claro que essa manifestação veio antes da pandemia. Ainda assim, há uma estratégia das plataformas em fazer lançamentos dos filmes, por curto período, em salas de cinema, paralelamente ao lançamento no streaming, como aconteceu com “O Irlandês”, de Martin Scorsese, outro diretor que criticou a dinâmica dessas plataformas.

Um diretor que parece não se incomodar com essa mudança na forma de consumir filmes é o formalista David Fincher. Ele assinou um contrato de quatro anos com a Netflix. Já produziu duas séries de sucesso (“House of Cards” e “Mindhunter”), além do seu filme “Mank”, que acumula 10 indicações à premiação desta noite.

Diversidade

Além do streaming, outra marca desta 93ª edição do Oscar é a diversidade. Pela primeira vez, duas mulheres disputam a estatueta de melhor direção, sendo que uma delas, Cloé Zhao, além de favorita, é a primeira não branca a estar na disputa. A outra indicada é a diretora Emerald Fennel, por “Bela Vingança”.

A lista de indicados inclui ainda mais artistas negros, de ascendência asiática e também um mulçumano. A Academia já anunciou que, a partir de 2024, a diversidade estará entre os critérios para a seleção dos finalistas ao prêmio mais cobiçado do cinema mundial.

Confira os indicados:

Melhor Filme

Meu Pai
Judas e o Messias Negro
Mank
Minari: Em Busca da Felicidade
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago

Melhor Atriz

Viola Davis – A Voz Suprema do Blues
Andra Day – Os Estados Unidos vs. Billie Holiday
Vanessa Kirby – Pieces of a Woman
Frances McDormand – Nomadland
Carey Mulligan – Bela Vingança

Melhor Ator

Riz Ahmed – O Som do Silêncio
Chadwick Boseman – A Voz Suprema do Blues
Anthony Hopkins – Meu Pai
Gary Oldman – Mank
Steven Yeun – Minari

Melhor Atriz Coadjuvante

Maria Bakalova – Borat: Fita de Cinema Seguinte
Glenn Close – Era uma vez um sonho
Olivia Colman – Meu Pai
Amanda Seyfried – Mank
Yuh-Jung Youn – Minari: Em Busca da Felicidade

Melhor Ator Coadjuvante

Sacha Baron Cohen – Os 7 de Chicago
Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro
Leslie Odom Jr. – Uma Noite em Miami
Paul Raci – O Som do Silêncio
Lakeith Stanfield – Judas e o Messias Negro

Melhor Diretor

Thomas Vinterberg – Another Round
David Fincher – Mank
Chloé Zhao – Nomadland
Lee Isaac Chung – Minari: Em Busca da Felicidade
Emerald Fennell – Bela Vingança

Melhor Figurino

Emma – Alexandra Byrne
A Voz Suprema do Blues – Ann Roth
Mank – Trish Summerville
Mulan – Bina Daigeler
Pinocchio – Massimo Cantini Parrini

Melhor trilha sonora original

Destacamento Blood – Terence Blanchard
Mank – Trent Reznor e Atticus Ross
Minari – Emile Mosseri
Relatos do Mundo – James Newton Howard
Soul – Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste

Melhor roteiro adaptado

Borat – Fita de Cinema Seguinte
Meu Pai
Nomadland
Uma Noite em Miami
Tigre Branco

Melhor roteiro original

Judas e o Messias Negro
Minari: Em Busca da Felicidade
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago

Melhor Maquiagem e Cabelo

Emma
Era Uma Vez um Sonho
A Voz Suprema do Blues
Mank
Pinóquio

Melhor Trilha Sonora Original

Destacamento Blood
Mank
Minari
Relatos do Mundo
Soul

Melhor Canção Original

Fight for You – Judas e o Messias Negro
Hear My Voice – Os 7 de Chicago
Husavik – Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars
Io Si (Seen) – La vita davanti a sé
Speak Now – Uma Noite em Miami

Melhor Fotografia

Judas e o Messias Negro
Mank
Relatos do Mundo
Nomadland
Os 7 de Chicago

Melhor Montagem

Meu Pai
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago

Melhor Som

Greyhound
Mank
Relatos do Mundo
Soul
O Som do Silêncio

Design de Produção

Meu Pai
A Voz Suprema do Blues
Mank
Relatos do Mundo
Tenet

Melhores Efeitos Visuais

Amor e Monstros
O Céu da Meia-Noite
Mulan
The One and Only Ivan
Tenet

Melhor Documentário

Collective
Crip Camp
The Mole Agent
Professor Polvo
Time

Melhor Animação

Os Dois Irmãos
Over the Moon
A Shaun the Sheep Movie: Farmageddon
Soul
Wolfwalkers

Melhor Filme Internacional

Another Round
Better Days
Collective
The Man Who Sold His Skin
Quo Vadis, Aida?

Melhor Curta Animado

Burrow
Genius Loci
If Anything Happens I Love You
Opera
Yes-People

Melhor Curta em Documentário

Colette
A Concerto is a Conversation
Do Not Split
Hunger Ward
A Love Song for Latasha

Melhor Curta em Live-Action

Feeling Through
The Letter Room
The Present
Two Distant Strangers
White Eye

25 de abril de 2021, 15:41

Compartilhe: