sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Em live nas redes sociais, Eduardo Bolsonaro defende o pai e ataca Joice Hasselmann mais uma vez

Foto: Reprodução/Facebook

Redação

Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais ontem à noite, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que seu pai, o presidente Jair Bolsonaro, está tomando “muita pancada” por conta das denúncias sobre o esquema de candidaturas laranjas do seu partido nas eleições de 2018.

Eduardo tentou explicar, em sua visão, os motivos da crise que assola o PSL. Defendeu o pai, atacou colegas e disse que os episódios recentes protagonizado poe lideranças da legenda dão “nojo” e “asco”.

O deputado citou três acontecimentos em ordem cronológica que impulsionaram a conjuntura caótica atual do PSL: o pedido de seu para para um apoiador esquecer o partido e não atrelar seu nome a Bivar; o pedido de obstrução feito por Delegado Waldir em meio à votação de uma medida provisória na semana passada; e o pedido de Bolsonaro por uma auditoria nas contas da legenda, que seria motivado, segundo o deputado, pelo “laranjal”.

Ele negou que tenha sugerido seu próprio nome para a função e disse ter entrado na briga porque era o único de consenso do grupo bolsonarista e que não iria “se acovardar diante dos fatos”.

Na maior parte dos 20 minutos, Eduardo buscou defender o pai e tentou desconstruir declarações de deputados do PSL que, agora, se colocam contra o presidente.

“Não caia nessa ladainha. Bolsonaro ficou 30 anos naquele meio promíscuo. Pelo amor de Deus, cuidado com essas pegadinhas. As pessoas estão com mania de achar que são mais inteligentes que o presidente. O Bolsonaro é um craque. Elegeu 50 pessoas que eram desconhecidas da população. Se elegeu sem gastar R$ 1 milhão. Ficou 30 anos no meio da sacanagem sem se envolver em escândalo”, disse.

O parlamentar atacou, mais uma vez, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), destituída na última quinta-feira (17) por Bolsonaro da liderança do governo no Congresso.

“Ela disse no Facebook que ‘está deixando a liderança’. Deicando nada, ela foi demitida. Foi cortada a cabeça, porque quebrou a confiança do presidente. E ela est´amuito irritada porque a liderança do governo tem 30 cargos e da noite para o dia ela perdu isso. Ela vai dizer que está leve, mas se tem uma coisa que ela não está é leve”, provocou.

20 de outubro de 2019, 09:02

Compartilhe: