domingo, 1 de agosto de 2021

Em conversa com o pai, Dominghetti relatou que Pazuello queria mais vacinas no 2º semestre

Foto: Agência Senado

Da Redação

O cabo da Polícia Militar de Minas Gerais, Luiz Paulo Dominghetti, relatou ao pai, em conversa por WhatsApp, que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, teria interesse em adquirir lotes de vacinas contra a Covid-19 oferecidas pela empresa Davati Medical Supply no segundo semestre.

As conversas foram obtidas pelo portal UOL. Nelas, o pai de Dominghetti, Paulo César Pereira, parecia ansioso pelo fechamento do negócio.

A troca de mensagens ocorreu no dia 23 de fevereiro. Na ocasião, Dominghetti afirma ter comparecido ao prédio do Ministério da Saúde para finalizar o acordo.

O cabo da PM mineira também demonstra euforia com a iminência de confirmar a venda de vacinas para o Ministério da Saúde.

No dia 25 de fevereiro acontece o encontro Roberto Dias, então diretor de Logística do Ministério da Saúde, que foi acusado por Dominghetti de pedir propina de US$ 1 por vacina.

Dias foi demitido do cargo após o PM relatar o suposto pedido em entrevista à Folha de S. Paulo. O ex-diretor nega ter cometido irregularidades. Na CPI, afirmou que as conversas nunca passaram de tratativas iniciais.

22 de julho de 2021, 08:24

Compartilhe: