quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Economia brasileira oscila entre estaganação e depressão, dizem especialistas

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Redação

Um novo item foi acrescentado a discussão sobre o momento vivido pela economia no Brasil. Além dos riscos de voltar à recessão ou viver um período de estagnação, a consultoria AC Pastore, do ex-presidente do Banco Central Affonso Celso Pastores, acrescentou que o Brasil passa pela mais lenta retomada da história e caminha para a depressão.

No relatório obtido pela Folha de S. Paulo, intitulado “A Depressão Depois da Recessão”, a equipe da consultora considera como principal critério para caracterizar o estado depressivo da economia a estagnação a da renda per capta do país. Ainda segundo a Folha, como o PIB avançou apenas 1,1% em 2017 e também em 2018 e a população do país cresce a 0,8% ao ano, o ganho de renda para cada brasileiro foi “insignificante”.

O documento afirma que a renda per capta no fim de 2018 estava 8% abaixo do trimestre anterior ao início da recessão.

A AC Pastore avalia que se o PIB de 2019 crescer de fato em torno de 1% ou menos, o que é visto como possível, a renda per capita ao fim do ano estará no mesmo nível de 2018.

19 de maio de 2019, 09:43

Compartilhe: