terça-feira, 2 de junho de 2020

Drogba se revolta com testes de coronavírus na África: “Não somos cobaias”

Foto: Divulgação/MLS

Da Redação

Dois jogadores africanos, Didier Drogba (Costa do Marfim), e Samuel Eto’o (Camarões), se revoltaram com uma “troca de ideias” entre dois médicos franceses nesta semana.

Jean Paul Mira, um dos diretores do hospital Cochin de Paris, e Camille Locht, diretor do INSERM (organização pública francesa exclusivamente dedicada às pesquisas biológicas) afirmaram ao canal LCI (La Chaîne Info), uma das maiores emissoras de televisão da França, que deveria se fazer um estudo na África sobre o novo coronavírus.

As declarações imediatamente revoltaram diversos jogadores de futebol nascidos no continente africano. O ex-centroavante de Camarões chamou Mira e Locht de “filhos da p…” por propor experimentos na África em busca da cura da Covid-19. “A África não é seu parquinho”, disse Eto’o.

“É totalmente inconcebível que tenhamos que advertir sobre isso. A África não é um laboratório de testes. Não somos cobaias. Eu quero veementemente denunciar essas declarações discriminatórias, falsas e, sobre tudo, racistas”, escreveu o ex-atacante da Costa do Marfim em suas redes sociais.

04 de abril de 2020, 13:58

Compartilhe: