terça-feira, 14 de julho de 2020

Documento obtido pelo Toda Bahia aponta que PGR havia pedido dados da força-tarefa da Lava-Jato em maio

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Thyara Araujo

Um documento obtido neste domingo (28) pelo Toda Bahia aponta que o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, tinha enviado um ofício ao procurador da República e coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, no dia 13 de maio deste ano, com pedido de compartilhamento da base de dados.

Na última quinta-feira (25), procuradores acionaram a Corregedoria do Ministério Público Federal após receberem visita da subprocuradora-geral da República Lindora Maria Araújo, coordenadora do grupo da operação no âmbito da Procuradoria Geral da República, nomeada para o posto por Aras, alegando que ela buscou acesso a procedimentos e bases de dados da força-tarefa “sem prestar informações” sobre a existência de um processo formal no qual o pedido se baseava ou o objetivo pretendido.

No ofício, Aras alega que os dados requisitados “se destinam a subsidiar o exercício das atribuições finalísticas do Procurador-Geral da República, que compreendem, dentre outras, zelar pelos direiros e interesses coletivos, zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos e dos serviços de relevância pública, além daquelas relativas à coordenação das atividades do Ministério Público Federal e decisão, em grau de recurso, de conflitos de atribuições entre órgãos da Instituição, tudo com a devida observância dos procedimentos de segurança no manejo dos dados obtidos”.

Ao finalizar o documento, Aras informa que “a equipe da Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise do Gabinete do Procurador-Geral da República encontra-se à inteira disposição para prestar todo o apoio e esclarecimentos que porventura se fizerem necessários”.

Clique nas imagens para ampliá-las:

 

28 de junho de 2020, 15:00

Compartilhe: