domingo, 9 de maio de 2021

De olho em 2022, Bolsonaro planeja troca de oito ministros até abril do ano que vem; João Roma pode ser um deles

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Da Redação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prevê uma nova reforma ministerial para colocar em prática até abril do ano que vem, de olho nas eleições de 2022.

Segundo a Folha de S. Paulo, Bolsonaro deve trocar cerca de um terço do seu ministério, já que entre sete e oito integrantes do primeiro escalão do governo devem disputar vagas no Congresso ou em governos estaduais.

A legislação eleitoral determina o ministro que vai disputar eleições deve se desincompatibilizar da pasta que comanda seis meses antes das eleições, previstas para outubro.

Lula

Um dos objetivos de Bolsonaro é reforçar sua tropa de choque contra o ex-presidente Lula (PT), que pode ser seu adversário direto em 2022. Para isso, ele quer montar palanques fortes nas principais cidades do país, principalmente no Nordeste.

Ainda de acordo com a Folha, um dos nomes elencados para reforçar esse time é do deputado federal licenciado, João Roma (Republicanos). Ex-aliado de ACM Neto (DEM), Roma hoje ocupa o Ministério da Cidadania.

Além dele, outros nomes apontados por ministros, parlamentares presidentes de partidos e assessores do Planalto são: Tereza Cristina (Agricultura), Onyx Lorenzoni (Secretaria-Geral), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Flávia Arruda (Secretaria de Governo).

Todos os nomes citados já foram experimentados nas urnas, mas aliados de Bolsonaro avaliam também tentar emplacar nomes sem essa passagem, como Ricardo Salles, do Meio Ambiente, Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura.

Salles e Damares são vistos como possíveis nomes para a Câmara, enquanto Tarcísio, é cotado para disputar o governo do Distrito Federal ou até mesmo vice na chapa de Bolsonaro.

19 de abril de 2021, 09:57

Compartilhe: