quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Dallagnol evitou participar de evento para não aparecer ao lado de Bolsonaro

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Redação

Novas mensagens vazadas de conversas privadas entre procuradores da Lava Jato revelam que Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato no Ministério Público do Paraná, rejeitou receber um prêmio ao lado do então deputado federal Jair Bolsonaro e outros “radicais de direita”.

Dallagnol foi alertado por assessores da presença, na cerimônia de premiação em questão, de políticos como o vereador Fernando Holiday (DEM-SP), um dos líderes do MBL que se mobilizaram em favor do impeachment de Dilma Rousseff, e do próprio Bolsonaro. A ideia era que ele ou a força tarefa da Lava Jato não fossem vinculados a bandeiras político-ideológicas.

O prêmio seria o Liberdade 2016, concedido no Fórum Liberdade e Democracia, organizado pelo Instituto de Formação de Líderes de São Paulo, em 22 de outubro daquele ano. O convite havia sido feito diretamente a Dallagnol. Depois das ponderações dos assessores ele recuou, e enviou, em seu lugar, o promotor Roberto Livianu.

14 de agosto de 2019, 09:03

Compartilhe: