quarta-feira, 18 de setembro de 2019

CPI de Brumadinho aprova quebra de sigilos de ex-presidente da Vale

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga a tragédia em Brumadinho (MG) aprovou nesta terça-feira (4) a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Fábio Schvartsman, ex-presidente da Vale.

Schvartsman comandava a empresa em janeiro, quando uma barragem da mineradora rompeu em Brumadinho, levando uma enxurrada de lama à região. Ao todo, 245 mortes foram confirmadas em razão da tragédia.

O advogado Pierpaolo Bottini afirmou ao G1 que a defesa de Schvartsman já entregou espontaneamente ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal todos os e-mails e as mensagens recebidas pelo ex-presidente da Vale.

Conforme o requerimento aprovado nesta quarta-feira pela CPI, apresentado pelos deputados Áurea Carolina (PSOL-MG) e Rogério Correia (PT-MG), é necessário quebrar os sigilos de Fábio Schvartsman para apurar se ele sabia de uma eventual instabilidade na barragem que rompeu em janeiro.

“Dos depoimentos prestados perante essa Comissão, percebe-se claramente uma tentativa dos gestores da Vale de imputar toda a responsabilidade pelo acidente aos funcionários que atuavam na ponta, os quais não ocupavam posição de chefia e não detinham poder de decisão, devendo se reportar aos gerentes aos quais eram subordinados. Esses, por consequência, devem se reportar aos seus superiores na cadeia hierárquica, sendo que todos se subordinam, em último nível, ao presidente da empresa”, diz o requerimento aprovado.

04 de junho de 2019, 20:00

Compartilhe: