terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Cotada para assumir presidência da Funai, Azelene Inácio é exonerada após investigação do MPF

A diretora de Proteção Territorial da Fundação Nacional do Índio (Funai), Azelene Inácio, foi exonerada na tarde desta terça-feira (8). Segundo o blog da Andréa Sadi, o Ministério Público Federal está investigando a servidora por um possível conflito de interesses na nomeação dela para o cargo que ocupa. A demissão foi confirmada pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública.

A diretora é cotada para presidir a fundação no governo Jair Bolsonaro e conta nos bastidores com o apoio de ruralistas para ocupar o cargo.

Em entrevista ao blog, Azelene disse que considera de o MPF está perseguindo-a. “Eles sempre me perseguiram porque eu fui indicada pela bancada ruralista para o cargo. Não é de hoje. Desde que eu entrei, o Ministério Público Federal sempre me perseguiu”, afirmou.

09 de janeiro de 2019, 00:30

Compartilhe: