terça-feira, 2 de junho de 2020

Coronavírus: Ministério da Saúde aponta estados em situação crítica

Foto: Divulgação/MS

Da Redação

São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Distrito Federal concentram sete em cada dez casos de coronavírus no Brasil. Oito em cada dez mortes no país se deram nessas quatro unidades federativas. Mas não são esses os únicos fatores que tornam “a turma mais preocupante em todo o território nacional” na luta contra a Covid-19, como avalia o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Para o ministro, essas são as localidades em que “a gente tem uma atenção muito mais pormenorizada e sem perder de vista todas as outras cidades brasileiras”.

Questão social, posição geográfica e porte dos estados foram apontados nos últimos dias por Mandetta e sua equipe no Ministério da Saúde para justificar a preocupação. A soma desses fatores se resume a um ponto: circulação. O quarteto, segundo Mandetta, apresenta “maior probabilidade de termos grandes movimentos”.

Com base em dados levantados pelo ministério até a última sexta (3), o quarteto era o que apresentava os piores dados na comparação de incidência de casos de coronavírus por bloco de 100 mil habitantes.

Distrito Federal: 13,5 casos a cada 100 mil pessoas

São Paulo: 8,8 casos a cada 100 mil pessoas

Ceará: 6,9 casos a cada 100 mil pessoas

Rio de Janeiro: 6,4 casos a cada 100 mil pessoas

Se considerado o país todo, essa taxa é de 4,3 casos. “Aqui a gente pode comparar um estado com o outro, medindo com a mesma métrica”, explicou, na última quarta (1º), o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira.

04 de abril de 2020, 08:29

Compartilhe: