sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Bolsonaro recua sobre possibilidade de separar pastas da Justiça e Segurança Pública

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Redação

Ao desembarcar em Nova Déli, na Índia, para uma viagem oficial, o presidente Jair Bolsonaro, em entrevista a jornalistas, afirmou que não irá desmembrar o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que atualmente está sob o comando de Sergio Moro.

Ontem ainda, Bolsonaro havia cogitado a possibilidade, depois de realizar uma reunião com secretários estaduais de segurança, sem a presença de Moro. O secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, foi um dos que se manifestou pela separação. Ao serem questionados pelo presidente, os demais também se mostraram favoráveis à medida.

A mudança implicaria em um esvaziamento no poder de Moro, que só ficaria com a pasta da Justiça. Em Nova Déli, Bolsonaro, ao sinalizar recuo da decisão, destacou que os resultados na segurança pública mostra que o governo está “indo no caminho certo”.

“O Brasil está indo muito bem. Segurança pública, os números indicam que está indo no caminho certo, e a minha máxima é: em time que está ganhando não se mexe”, declarou.

A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, apurou que o ministro Moro chegou a se queixar com aliados e cogitou deixar o governo caso tivesse o ministério desmembrado.

Na entrevista a jornalistas em Nova Déli, Bolsonaro ainda disse que “a chance no momento é zero”. “Tá bom ou não? Tá bom, né? Não sei amanhã. Na política, tudo muda, mas não há essa intenção de dividir [o Ministério da Justiça]. Não há essa intenção”, concluiu o presidente.

24 de janeiro de 2020, 10:26

Compartilhe: