terça-feira, 22 de junho de 2021

Bolsonaro é chamado de “criminoso”, “genocida”, “psicopata” e “assassino” por propor fim do uso de máscaras

Foto: Reprodução/TV Globo

Da Redação

Após declarar, nesta quinta-feira (10), que desobrigará o uso de máscaras em plena a pandemia de coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro foi amplamente criticado por políticos. Bolsonaro disse que pediu ao Marcelo Queiroga para editar as medidas de uso obrigatório do equipamento de segurança para aqueles que já tenham sido vacinados contra Covid-19 ou sido infectados pelo vírus.

Bolsonaro não deu mais detalhes sobre como a “desobrigação” ocorrerá, já que, a respeito do uso de máscaras, não há uma norma federal, apenas decretos estaduais e municipais. Nas redes sociais, o presidente foi referido como “criminoso”, “psicopata”, “assassino”, e “genocida” por políticos.

Em nota, o líder da Oposição na Câmara, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) afirmou que “É inacreditável que, mesmo com o país tendo mais de duas mil mortes de COVID-19 na véspera, o presidente continue se dedicando a boicotar as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus. Se de fato Bolsonaro apresentar qualquer medida desobrigando o uso de máscara, que é uma determinação de uma lei aprovada pelo Congresso Nacional, usaremos todos os recursos cabíveis, no Legislativo e no Judiciário, para impedir mais este absurdo. O uso de máscara salva vidas e boicotar isto é trabalhar pela morte do nosso povo”.

Reprodução/Twittet

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

Reprodução/Twitter

10 de junho de 2021, 21:58

Compartilhe: