quarta-feira, 19 de junho de 2019

Avó da primeira-dama vive em favela a 40 km do Alvorada e não tem contato com a neta há seis anos

Foto: Reprodução/Veja

Uma reportagem publicada na revista Veja desta semana revela que a avó da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, vive em uma favela localizada a 40 km do Palácio da Alvorada.

Maria Aparecida Firmo, de 79 anos, sofre de Parkison, é cardíaca e tem dificuldade de se locomover. Ela é moradora da favela Sol Nascente, que fica na parte mais pobre de Brasília, conhecida pela violência e por ser dominada pelo tráfico de drogas.

Dona Aparecida, como é conhecida, disse à reportagem que não tem contato com a neta há pelo menos seis anos. Ela contou ainda que nunca recebeu um convite para ir ao Alvorada e não sabe responder o porquê.

Poucas pessoas no local sabem do parentesco com a primeira-dama, a quem ela ajudou a criar. Apesar da falta de contato ou de um convite, ela afirma “gostar muito” do marido da neta, o presidente Jair Bolsonaro. “Eu gosto muito do Jair. Gostei desde a primeira vez. Ele sempre me abraçava, me beijava, me chamava de vó. Vou abraçar e beijar meu presidente, agora”.

Dona Aparecida acredita também que o marido de sua neta vai “ajudar os aposentados, melhorar a saúde, acertar os bandidos e baixar o preço das coisas”.

Segundo a Veja, ela recebe um salário mínimo de aposentadoria, conseguida por conta dos anos que trabalhou nos serviços gerais em uma das sedes do Banco do Brasil.

A reportagem revela ainda que, apesar de conversar com o jornalista, Dona Aparecida prefere não dar entrevista, porque “lá em cima” não querem que ela fale. Quando perguntada a quem se referia, respondeu: “Michelle”. A avó da primeira-dama diz que só abriria uma exceção para o apresentador Ratinho, porque ele é “amigo do Jair”.

13 de abril de 2019, 13:26

Compartilhe: