domingo, 18 de agosto de 2019

Após perder força para se manter na PGR, Raquel Dodge retira da gaveta investigações contra Bolsonaro

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Redação

Enquanto articulava sua recondução ao cargo de procuradora-geral da República, Raquel Dodge segurou, por mais de 120 dias, investigações sobre o presidente Jair Bolsonaro. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo, Dodge, na última terça-feira, 6, desengavetou os papéis e os enviou para a primeira instância. Essa postura acontece no momento em que seu nome perdeu força na disputa para se manter no comando do Ministério Público Federal por mais dois anos.

Um dos casos desengavetados por Dodge é que envolve Walderice Conceição, a Wal do Açaí. Ela, que mora em Angra dos Reis, atuou como funcionária fantasma na época em que Bolsonaro era deputado federal. O outro caso envolve Nathalia Queiroz, que estava ligada ao gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara e, ao mesmo tempo, atuava como personal trainer. Nathalia é filha de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, quando ele era deputado estadual.

13 de agosto de 2019, 08:04

Compartilhe: