quarta-feira, 19 de junho de 2019

A sensatez de uma mulher ajuda Bolsonaro na reforma da Previdência

Foto: Agência Câmara

Redação

Furacão

A líder do governo na Câmara dos Deputados, Joice Hasselmann (PSL/SP), em encontro com representantes do setor industrial na Bahia, disse que a imprensa não é contrária à reforma de Previdência. Durante almoço no Senai/Cimatec, ressaltou que grandes jornais podem até ser contrários ao governo Bolsonaro, mas têm ciência de que aprovar a reforma da previdência é crucial para o país. A deputada, que por inúmeras vezes foi tratada como “Furacão” pelos empresários, disse que o governo não pode cometer o mesmo erro de comunicação do Governo Temer, que conseguiu aprovar a reforma trabalhista, mas não conseguiu avançar a da Previdência. Sobre a imprensa, disse que governo tem “couro grosso” para suportar as lambadas.

Efeito Marinho

É também claro que muitos parlamentares temem o efeito de votar a favor da Reforma da Previdência tendo em vista não somente as eleições de 2022, nas quais precisarão renovar os mandatos, mas já nas eleições municipais do ano que vem, quando deputados e senadores candidatam-se ou apoiam candidatos a prefeituras. “Muitos têm medo do efeito Rogério Marinho, que foi um excelente deputado federal, foi o relator da reforma trabalhista, mas não se reelegeu”, rememorou Hasselmann. Marinho, que é do PSDB do Rio Grande do Norte, é hoje secretário da Previdência escolhido pelo ministro Paulo Guedes (Economia).

União

Hasselmann conversou na manhã de segunda-feira (18) com o vice-governador João Leão (PP), dizendo-lhe que governo e oposição podem discordar em uma série de outras questões, menos na referente à reforma. “Conversei com o João Leão e disse que temos uma série de temas para discordar, menos na reforma da Previdência”. A deputada do PSL disse ter ainda conversado com dois petistas que confessaram que fariam um discurso contra a reforma para o eleitorado, mas, na hora H, votariam favoravelmente. Joice Hasselmann disse a reforma é importante para controlar os gastos de estados que já estão em fase falimentar.

Marajás

Na apresentação no Cimatec, Hasselmann disse que os maiores adversários da reforma são os “marajás da Previdência”. “São essas figuras ou os representantes dessas figuras que não querem; a alta casta do judiciário e do MP e também os políticos”, disse a deputada.

19 de março de 2019, 09:03

Compartilhe: