Ministro decano do Supremo diz que saída para a crise está na Constituição

18 de maio de 2017, 22:15

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu nesta quinta-feira (18) “obediência irrestrita à Constituição” como condição para preservação dos direitos e das liberdades dos cidadãos.

Decano (mais antigo ministro) do Supremo, Celso de Mello dirigiu o apelo a cidadãos, instituições e membros dos três poderes da República.

“Mais do que nunca, neste particular momento em que o Brasil situa-se entre o seu passado e o seu futuro , os cidadãos deste país, as instituições nacionais e os membros integrantes dos poderes do estado devem prestar obediência irrestrita à Constituição e às leis da República como condição de preservação de nossas liberdades fundamentais e de nossos direitos”, disse.

Para o ministro, é necessário que os cidadãos sejam “servos da lei” para que seja possível preservar os valores da ordem democrática.