Caetano pede indenização de R$ 200 mil a autor que o acusou de pedofilia

11 de novembro de 2017, 13:00

Os advogados do cantor Caetano Veloso entraram com uma ação na Justiça contra o escritor Flavio Azambuja Martins, depois que ele foi identificado como o autor e disseminador da hashtag #caetanopedofilo, caso que teve grande repercussão no último mês. 

Datado e registrado do último dia 3, o documento pede prioridade na tramitação processual por envolver um idoso (de 75 anos). A defesa de caetano pede que as publicações consideradas ofensivas sejam deletadas dos perfis de Flavio com urgência, com pena de R$ 5 mil em caso de descumprimento, além de uma indenização de R$ 200 mil por dano moral. 

O grande número de seguidores de Flavio Morgenstern nas redes sociais , como o autor também é conhecido, foi um dos argumentos utilizados pelos advogados de Caetano no documento. De acordo com eles, “o Réu foi o criador e o cabeça da campanha que difamou o Autor pela internet, num alcance inimaginável”. A defesa salientou ainda que Caetano “não ter interesse em participar de audiência de mediação e/ou conciliação com o Réu”.