23 de junho de 2017, 09:51

O técnico Jorginho comentou o desempenho do Bahia, que perdeu para o Corinthians por 3×0, na noite desta quinta-feira (22). Para ele, o tricolor teve o domínio do jogo, mas acabou perdendo. Apesar da derrota, o treinador se mostrou otimista e disse que os próximos confrontos dentro de casa são oportunidades para reverter a situação do clube.

“Infelizmente, nos últimos quatro resultados, tivemos um razoável, que foi o empate com o Coritiba fora, onde fizemos um bom jogo. A realidade é que o resultado não condiz com o resultado que foi o jogo. Acho que a gente teve, principalmente no segundo tempo, o domínio total. Achei as duas expulsões desnecessárias, o árbitro errou nas duas expulsões e prejudicou bastante o jogo. Agora a gente tem que encarar a realidade, temos três jogos lá em Salvador, o Flamengo, o Vitória que é um clássico e depois o Fluminense. É a hora que podemos mudar essa situação e a oportunidade que vamos ter para que a gente não fique olhando para a parte de baixo e sim para a parte de cima”, afirmou.

Jorginho atribuiu a derrota para o Timão à falta de preparo da equipe tricolor. “Lamentamos muito ter perdido esse jogo, acho que não condiz com o resultado, não traz a realidade do que foi o jogo, apesar de saber que o Corinthians é uma equipe superior. As equipes que vierem aqui vão sofrer, é um campo muito escorregadio. É uma coisa que eu cobro muito, não se pode jogar com chuteira de borracha, tem que vir preparado para uma guerra. Infelizmente a gente saiu daqui perdendo o nosso saldo de gols”, disse.

23 de junho de 2017, 09:06

O advogado do presidente Michel Temer no processo que envolve as delações da JBS, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, afirmou que vai questionar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) caso seja confirmada a manutenção da validade da delação da JBS.

“Não tenha dúvida que vamos questionar essa decisão”, disse. Nesta quinta-feira (22), o plenário do STF alcançou maioria de 6 votos a zero em favor da validade dos acordos de delação premiada da JBS. Restam os votos de cinco ministros. O julgamento será retomado na próxima quarta-feira (28).

23 de junho de 2017, 08:19

Eleitores de Salvador têm mais dois pontos para realizar o recadastramento biométrico, nas prefeituras-bairro do Cabula, localizada na Avenida Silveira Martins, e na da Barra/Pituba, na Rua Marquês do Monte Santo, no Rio Vermelho. O atendimento é feito em seis guichês em cada uma das unidades, após agendamento prévio que deve ser realizado no site do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE).

Com isso, a Prefeitura passa a oferecer 41 guichês de atendimento para recadastramento em sete Prefeituras-Bairro (além das já citadas, a do Subúrbio, Cidade Baixa, Pau da Lima, Valéria e Itapuã). As prefeituras-bairro da Liberdade e de Cajazeiras estão sendo preparadas para receber os equipamentos do TRE e devem começar a atender em dez dias.

A expectativa do diretor-geral das prefeituras-bairro, Júnior Magalhães, é que, até dezembro, 500 mil pessoas tenham realizado o recadastramento biométrico obrigatório nas unidades municipais nessa parceria com a Justiça Eleitoral. Ao todo, 1,9 milhão de pessoas precisam realizar esse procedimento em Salvador.

“Tem sido um grande serviço prestado à cidade, pois seria muito difícil para a população carente sair de seus bairros para fazer o recadastramento. Não é uma obrigação nossa, no entanto, houve uma mobilização no sentido de disponibilizar espaço, internet e mobiliário para viabilizar o atendimento. Com isso, a Prefeitura de Salvador sai na frente”, afirmou Júnior Magalhães.

23 de junho de 2017, 07:31

Da Agência EFE

Os líderes da União Europeia (UE) decidiram nesta quinta-feira (22) prolongar por mais seis meses as sanções econômicas à Rússia por seu papel na crise separatista no leste da Ucrânia e por não ter aplicado suficientemente os acordos de paz de Minsk. A informação é da agência EFE.

“A UE estenderá suas sanções econômicas contra a Rússia pela falta de implementação dos Acordos de Minsk”, declarou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Durante a sua recente cúpula em Bruxelas, os líderes da UE escutaram da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente francês, Emmanuel Macron, as últimas informações sobre a situação no leste da Ucrânia.

Esses dois países representam a UE no chamado Quarteto da Normandia, que junto aos governos de Kiev e Moscou tentam chegar a uma solução para a crise ucraniana. A UE condiciona o fim das sanções econômicas à Rússia à aplicação total dos Acordos de Minsk e ainda há falhas em sua implementação, que incluem a retirada de armamento pesado e o respeito ao cessar-fogo.

As atuais sanções vencem no próximo dia 31 de julho, data até a qual o Conselho da UE tem de prazo para formalizar o acordo politico adotado hoje pelos líderes e publicar as atas legais necessárias para a renovação das medidas restritivas.

Essas sanções foram introduzidas pela UE em 31 de julho de 2014, inicialmente por um período de um ano, em resposta às “ações empreendidas pela Rússia, que provocam a desestabilização da situação na Ucrânia”, lembrou o Conselho Europeu. As sanções foram reforçadas em setembro desse mesmo ano e, desde então, têm sido prorrogadas.

As restrições estão centradas nos setores das finanças, da energia e da defesa, bem como no âmbito dos produtos de uso duplo, civil e militar.

À margem destas medidas, os ministros de Relações Exteriores da UE decidiram hoje prolongar até junho do próximo ano as sanções que tinham imposto à Rússia pela anexação “ilegal” da península ucraniana da Crimeia e do porto de Sebastopol, e que incluem restrições ao comércio e os investimentos nesses territórios.

23 de junho de 2017, 06:15

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) classificou de “parcial, unilateral e antidemocrático” o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que pede o indiciamento de mais de uma centena de pessoas ligadas à causa indígena no Brasil.

Por meio de uma nota pública, divulgada após a reunião do Conselho Permanente da entidade, os bispos brasileiros repudiam o conteúdo do relatório da CPI que, segundo eles, desconsiderou “dezenas de requerimentos” e “não ouviu” o Conselho Indigenista Missionário (Cimi), órgão que teve 14 de seus membros incluídos na lista de possíveis indiciamentos.

De acordo com o texto, durante os últimos meses, período em que a CPI funcionou, houve um aumento da violência no campo, a exemplo das “atrocidades” ocorridas em Colniza (MT), onde ocorreu uma chacina de trabalhadores rurais em abril deste ano, e em Pau D’Arco (PA), cidade em que uma ação policial terminou com a morte de dez pessoas.

Em entrevista à imprensa convocada para divulgar o documento, o secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, criticou o pedido de indiciamento de entidades “a serviço dos povos indígenas” diferentemente de pessoas que “estão em disputa” com as comunidades. “Não existe nenhum fazendeiro mencionado. Não só que não esteja, mas não se abordou a questão dos assassinatos dos povos indígenas pela segurança das grandes fazendas. Isso que nos causa muita estranheza”, afirmou.

A entidade alerta que se as proposições da CPI forem efetivadas, os conflitos podem se “agravar ainda mais”. “É preciso que os parlamentares considerem isso ao votarem qualquer questão que tenha incidência na vida dos povos indígenas e demais populações de campo. O indiciamento de missionários do Cimi é uma evidente tentativa de intimidar esta instituição tão importante para os indígenas, e de confundir a opinião pública sobre os direitos dos povos originários”, diz a nota.

23 de junho de 2017, 04:10

O governador Rui Costa entregou, nesta quinta-feira (22), um conjunto de melhorias aos moradores de Paratinga, município do oeste baiano. Primeiro, o governador inaugurou o asfaltamento das avenidas Manoel Novaes e José Duarte Porto, além de celebrar a requalificação de diversas ruas da sede municipal. Em seguida, realizou a inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS), de porte II, no bairro Barro Vermelho, disponibilizando atendimento médico e odontológico de qualidade e mais próximo para a população.

“Estamos entregando obras muito importantes aqui. Fiquei feliz em saber que, com a inauguração desta unidade básica de saúde, e mais quatro que serão entregues posteriormente, o município chegará a 90% de cobertura de atenção básica. Sem contar com as outras ações realizados hoje, nas áreas de infraestrutura e agricultura, que, certamente, melhoram a qualidade de vida da população”, afirmou o governador.

Bahia Produtiva

Durante a visita, Rui Costa também autorizou a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) a celebrar um convênio no âmbito do Programa Bahia Produtiva. O investimento total é de R$ 1,2 milhão. O projeto selecionado foi da Associação de Desenvolvimento Comunitário de Paratinga. No total, 50 famílias serão beneficiadas diretamente.

De acordo com o titular da SDR, Jerônimo Rodrigues, a associação beneficiada pelo Bahia Produtiva trabalha com a cadeia do leite e, com o apoio do Governo, deve expandir a produção. “A ideia deles é construir um laticínio, que terá toda a infraestrutura, equipamentos e assistência técnica necessária para um funcionamento que atenda a região, garanta aumento da renda dos envolvidos e movimente a economia do município”, destacou.

23 de junho de 2017, 02:07

Um grupo de 11 conselheiros do Vitória apresentaram nesta quinta-feira (22) um requerimento ao Conselho Deliberativo do clube no qual acusa a diretoria rubro-negro de “gestão temerária” e pede uma Assembleia Geral Extraordinária para discussão do tema. O grupo pediu, também, que o Conselho delibere sobre uma possível punição para o corpo diretivo.

De acordo com o Globoesporte.com, o pedido se baseia em contratos firmados pelo clube nos últimos meses, por meio dos quais, supostamente, o clube teria contratado empresas sem a realização de licitações. A prática viola o artigo 70 do estatuto do Vitória, que prevê concorrência administrativa em casos que envolvem valores acima de cem salários mínimos.

“Contratação ilegal, sem observância dos mandamentos estatutários, vem sendo uma prática. A regra tem sido o total desprezo pela legalidade”, diz o texto. O presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Godilho, afirmou que irá iniciar um processo de investigação sobre as denúncias levantadas e que irá requisitar informações dos contratos citados com a diretoria rubro-negra.

23 de junho de 2017, 00:05

A ex-presidenta Dilma Rousseff negou hoje (22) que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha cometido tráfico de influência, durante o governo dela, nos episódios da compra dos caças suecos Gripen e na aprovação de medida provisória para beneficiar o setor automobilístico. Dilma foi arrolada como testemunha de defesa de Lula e prestou depoimento na tarde desta quinta-feira (22), por vídeo-conferência, à Justiça Federal em Brasília, em processo originado a partir de investigações da Operação Zelotes.

“O presidente Lula jamais interferiu em nenhuma atividade do meu governo. Ele tinha o maior respeito por mim. E, mesmo quando eu era da Casa Civil [ministra entre junho de 2005 e março de 2010], ele jamais se intrometeu em assuntos que eram da minha alçada”, disse Dilma.

O ex-presidente e o filho dele, Luis Cláudio Lula da Silva, são investigados nessa ação e já foram denunciados pelo Ministério Público por tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. De acordo com o MPF, Lula teria atuado para garantir a compra de caças pela Força Aérea Brasileira (FAB) e na prorrogação de incentivos para a indústria automobilística na gestão Dilma.

Durante 1 hora e 20 minutos de depoimento, Dilma respondeu às perguntas do MPF e do juiz Vallisney de Souza, da 10ª Vara da Justiça Federal, sobre sua participação no processo para editar e aprovar as normas que concederam incentivos fiscais a montadoras de veículos, especialmente a Medida Provisória (MP) 627/13.

A medida tratava da tributação do lucro de empresas multinacionais brasileiras no exterior, em substituição ao chamado Regime Tributário de Transição. Segundo o MPF, tanto a montadora Caoa quanto a Odebrecht, agiram para influenciar o texto por terem negócios no exterior. Durante o processo de tramitação da MP no Congresso Nacional, foram inseridos vários “jabutis”, que são pontos estranhos ao texto original. Ao final, Dilma sancionou o texto com vários vetos.

Entre eles, estava a ampliação do parcelamento de débitos tributários (o chamado de Refis da Crise), a anistia de multas para planos de saúde, a redefinição de regime de aeroportos e o dispositivo que isenta fabricantes de pneus produzidos na Zona Franca de Manaus de PIS/Pasep e Cofins. “Eles aproveitaram [para introduzir jabutis] e isso foi um dos problemas de atrito que eu tive com a minha base no Congresso. A gente tinha que impedir que ocorresse esses jabutis”, disse.

A aprovação da MP 627 teria sido conduzida no Congresso Nacional pelo ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR), relatores da matéria respectivamente na Câmara e no Senado. Segundo o MPF, Jucá teria recebido o pagamento de R$ 5 milhões como “contrapartida” pela aprovação do texto.

No depoimento, Dilma afirmou que os vetos foram a pré-estreia das chamadas “pautas-bomba”, apelido dado pela imprensa a projetos votados no Congresso e que dificultavam a realização do ajuste fiscal pelo governo. “Foi tumultuada a minha relação com o senhor Eduardo Cunha e com o Romero Jucá e eu tinha que ter a capacidade de transitar nesse meio político”, disse.

Questionada porque mesmo assim não vetou os benefícios para a indústria automobilística, Dilma disse que, após fazer uma análise técnica com integrantes do governo, chegou à conclusão de que a medida não teria impacto na arrecadação e poderia ajudar na recuperação econômica.

“Eu não vetei porque, na avaliação de todos nós, ele [incentivo] era o menos complicado e que podia até dar vantagens para o Brasil e para o governo porque daria vantagem à indústria automobilística, impactando outros setores como siderurgia, borracha, petróleo e gás, na comercialização de automóveis, entre outras”, disse.

22 de junho de 2017, 22:50

O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, informou que a partir desta quinta-feira (22) a importação de carne bovina in natura do Brasil está suspensa. A medida decorre de preocupações com a segurança do produto destinado ao mercado norte-americano.

A suspensão vale até que o Ministério da Agricultura do Brasil adote medidas que o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) considere satisfatórias.

22 de junho de 2017, 21:46

Da redação

O Bahia perdeu por 3 a 0 do Corinthians, em São Paulo, e completou quatro jogos sem vencer pelo Campeonato Brasileiro. No próximo domingo (25) o tricolor pega o Flamengo na Fonte Nova.WhatsApp Image 2017-06-22 at 21.37.14

Num primeiro tempo movimentando com boas chances para os dois times, mas só time da casa marcou o tricolor passou em branco. O Corinthians fez 1 a 0 aos 25 minutos com Jô que recebeu um belo passe de Rodriguinho e driblou goleiro Jean antes de fazer o gol.

balbuena-ampliou-o-placar-para-o-corinthians-na-arena-em-itaquera-1498177182247_615x300

No segundo tempo, Gabriel, pelo Corinthians, e Renê Júnior, pelo Bahia foram expulsos. O Corinthians não deixava o Bahia jogar marcando a saída de bola do tricolor. Aos 29, Edgar Junio teve uma chance mas chutou para fora. Público na Arena Corinthians: 34.250 pagantes. Renda: R$ 1.504.387,20. Aos 34, a zaga do Bahia falha, Romero desvia e Balbuena empurra para o gol . 2 a 0. Aos 47, Feijão vacilou e saiu o 3 a 0. Gol de Marquinhos Gabriel! O meia rouba a bola na entrada da área e mete a bola por cima de Jean. Fim de jogo

22 de junho de 2017, 20:47

André Richter – Repórter da Agência Brasil

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje (22) abrir prazo para a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestar sobre o inquérito aberto para investigar o presidente Michel Temer, a partir das delações da JBS. A partir da intimação, a PGR terá prazo legal de cinco dias para decidir sobre eventual denúncia contra o presidente e outros citados nas investigações, entre eles, o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR).

Na decisão, o ministro não se pronunciou sobre o pedido de Policia Federal (PF) para prorrogar por mais cinco dias o inquérito aberto para investigar o presidente e Loures. Com a decisão, a PF deverá anexar as diligências que ainda faltam, como o laudo das gravações feitas pelo empresário Joesley Batista com o presidente, nos próximos dias.

No início do mês, a investigação já foi prorrogada pela primeira vez a pedido da PF, que alegou necessidade de mais tempo para concluir as investigações, iniciadas a partir das citações do nome do presidente nas delações dos executivos da JBS.

Na sexta-feira (9), o advogado Antônio Mariz de Oliveira, representante de Temer, informou ao ministro que o presidente decidiu não responder às perguntas enviadas pela Polícia Federal no inquérito. Além disso, a defesa pediu o arquivamento das investigações e fez críticas ao teor do questionário enviado pelos delegados.

Para a defesa de Temer, o questionário é um “acinte à sua dignidade pessoal e ao cargo que ocupa” e atenta contra os “direitos individuais inseridos no texto constitucional”. “ O presidente e cidadão Michel Temer está sendo alvo de um rol de abusos e de agressões aos seus direitos individuais e à sua condição de mandatário da nação que colocam em risco a prevalência do ordenamento jurídico e do próprio Estado Democrático de Direito”, destaca o documento.

22 de junho de 2017, 20:02

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF, Marco Aurélio Mello, autorizou nesta quinta-feira (22) a abertura de um novo inquérito contra o senador afastado Aécio Neves, por suposta prática de lavagem de dinheiro. A nova investigação foi aberta a pedido do procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, com base na delação da JBS.

O inquérito irá apurar se Aécio tentou ocultar a origem do valor de R$ 2 milhões que ele recebeu do empresário Joesley Batista. De acordo com Janot, a quantia foi um pagamento de propina para que o senador atuasse de maneira a beneficiar a JBS.

Com o novo inquérito, Aécio passa a responder por nove investigações no STF, das quais cinco foram abertas com base na delação da Odebrecht, duas a partir da delação de Delcídio do Amaral e outras duas com base no acordo da JBS.

Além da abertura da investigação, o ministro determinou também o desmembramento da ação que envolve a irmã, o primo e um ex-assessor de Aécio. Os processos que envolvem Andrea Neves, Frederico Pacheco e Mendherson Souza Lima serão enviados para a primeira instância da Justiça Federal em São Paulo.

22 de junho de 2017, 19:21

A Comissão de Reparação da Câmara Municipal de Salvador teve uma audiência nesta quinta-feira (22) com a direção do Colégio Anchieta. A pauta do encontro foi o “Dia do Mico”, quando dois alunos foram vestidos com a fantasia da Ku Klux Klan. De acordo com o presidente do colegiado, vereador Moisés Rocha (PT), “esta atitude é um retrocesso no que tange à questão dos direitos humanos. Após o impeachment de Dilma Rousseff algumas pessoas criaram coragem para adotarem posturas de intolerância no país”, considerou o petista.

Segundo o parlamentar, “o Colégio Anchieta é um dos mais tradicionais de Salvador e durante um dia de brincadeira é inadmissível que alunos que estão prestes a ingressar na faculdade e escolher uma profissão tenham essa postura racista. Inclusive, na ocasião eles foram recepcionados por alguns alunos com a saudação nazista”.

A Comissão de Reparação emitiu uma moção de repúdio com relação ao ocorrido. No documento, o colegiado recorda que “a Ku Klux Klan, organização secreta racista da supremacia branca, promovia atos de violência e intimidação contra negros, além de inúmeros assassinatos, e foi declarada inconstitucional pela Suprema Corte americana em 1882”.

Também participaram da reunião com a direção do Colégio Anchieta os vereadores Sílvio Humberto (PSB), Rogéria Santos (PRB), Marta Rodrigues e Suíca (ambos do PT).

22 de junho de 2017, 18:42

Com o voto do ministro Dias Toffoli, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) alcançou maioria de 6 votos a zero em favor da validade dos acordos de delação premiada da empresa JBS, homologados em maio pelo ministro Edson Fachin, bem como da manutenção dele como relator do caso. Restam os votos de cinco ministros.

O plenário, em sua maioria, entendeu que a validade legal de qualquer acordo de delação premiada não pode ser revista, uma vez que tal legalidade for atestada pelo ministro relator, no caso, Edson Fachin.

Durante uma sessão tensa de debates, ficou entendido também que a competência para homologar os acordos cabe somente ao relator do caso, e não ao colegiado do STF, seja plenário ou uma das turmas.

No momento da homologação, os ministros concordaram que não cabe ao relator julgar se os termos do acordo de delação são justos ou não, mas somente analisar se as cláusulas estão de acordo com a lei e se o delator deu as declarações de forma voluntária, sem ser coagido.

Fica a cargo do colegiado, plenário ou turma, analisar, posteriormente, a eficácia dos termos do acordo, ou seja, julgar se foram obtidos os resultados prometidos pelo delator, podendo-se assim, no momento da análise de mérito do caso, rever seus benefícios se as promessas não forem cumpridas.

Votaram nesse sentido o relator, Edson Fachin, e os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Dias Toffoli. Restam os votos de Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio, Celso de Mello e da presidente, Cármen Lúcia.

“A partir do momento em que o Estado homologue a colaboração premiada, atestando a sua validade, ela só poderá ser descumprida se o colaborador não honrar aquilo que se obrigou a fazer. Porque, do contrário, nós desmoralizaríamos o instituto da colaboração premiada e daríamos chancela para que o Estado pudesse se comportar de uma forma desleal, beneficiando-se das informações e não cumprido sua parte do ajustado”, disse Barroso.

O julgamento foi motivado por questionamentos sobre a legalidade dos acordos da JBS feitos pela defesa do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, um dos citados nos depoimentos dos executivos da empresa.

A defesa de Azambuja contestou a remessa do processo a Fachin, alegando que os fatos narrados pelos delatores não têm relação com os crimes investigados na Lava Jato, e também a extensão dos benefícios concedidos aos delatores.

No acordo com os executivos da JBS, o Ministério Público Federal (MPF) se comprometeu a não apresentar denúncia contra os delatores, em troca de informações que efetivamente incriminem políticos envolvidos em casos de corrupção.

“Duvido piamente que o Ministério Público tenha feito um bom negócio penal”, disse o ministro Marco Aurélio Mello, indicando que, ao votar, se posicionará de maneira diversa da maioria.

22 de junho de 2017, 18:00

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e Luís Roberto Barroso bateram boca hoje (22) durante a sessão da Corte que discute a validade da homologação das delações da JBS e a relatoria do Edson Fachin nos processos.

O bate-boca aconteceu quando Gilmar Mendes questionou se o plenário poderia analisar a validade da homologação se ficar comprovado um suposto acordo prévio da Procuradoria-Geral da República (PGR) para gravar conversas do empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer.

Ao defender que o acordo não pode ser revisto, Barroso argumentou que se as cláusulas forem cumpridas pelos delatores, a delação não poderia ser anulada. “Todo mundo sabe o que se quer fazer aqui lá na frente. Então, eu não quero que se faça lá na frente”, disse.

Em seguida, Gilmar Mendes respondeu: “Essa é a opinião de Vossa Excelência, deixa os outros votarem. E respeite os votos dos outros”. Barroso retrucou: “Não pode ser, vou perder, então vou embora. Estamos discutindo.”

22 de junho de 2017, 17:29

A Prefeitura derrubou, na manhã desta quinta-feira (22), a liminar que suspendia a licitação do BRT (Bus Rapid Transit). A decisão foi tomada pelo desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia Ivanilton Santos da Silva, que apreciou pedido da Procuradoria Geral do Município (PGM).

Com isso, a Prefeitura poderá dar seguimento aos procedimentos da licitação, na fase de análise das propostas entregues pelas dez empresas participantes do certame. A vencedora da licitação será contratada para a execução das obras da primeira etapa de implantação do BRT em Salvador.

A licitação foi suspensa após ação movida pela empreiteira OAS. A decisão liminar foi expedida pelo juiz Ruy Eduardo Almeida Britto, da 6ª Vara da Fazenda Pública.

22 de junho de 2017, 17:01

O país registrou crescimento no faturamento médio das empresas de turismo de 4,3% de janeiro a março deste ano, na comparação com o mesmo período de 2016. Os dados fazem parte do Boletim de Desempenho Econômico do Turismo (BDET), estudo realizado pelo Ministério do Turismo, divulgado hoje (22).

Os aumentos no faturamento médio foram registrados em cinco dos sete segmentos pesquisados. Variam de 21,3%, caso das operadoras de turismo, a 3,4%, em parques e atrações turísticas. Entre as organizadoras de eventos, o crescimento foi 6,9%, enquanto nas agências de viagens houve alta de 5,7%, e no transporte aéreo, de 5,4%. Os meios de hospedagem registraram queda de 0,4%, enquanto no turismo receptivo a baixa foi de 6,4%.

Segundo o boletim, 70% do setor manifestou a intenção de investir o montante de 10,3% do faturamento apurado. No transporte aéreo, a expectativa de novos aportes nos negócios atinge 100% das empresas pesquisadas e nas operadoras de turismo 86%. As principais áreas a serem beneficiadas com os aportes de recursos são marketing e promoção de vendas, compra de novos materiais e treinamento de funcionários.

De acordo com Ministério do Turismo, atuam como fatores inibidores da expansão dos negócios, as empresas apontam o momento econômico ainda desfavorável e os custos operacionais e financeiros. Para esta edição do boletim foram ouvidas 782 empresas, que geram 70,1 mil postos de trabalho e tiveram faturamento de R$ 8,2 bilhões no trimestre.

22 de junho de 2017, 16:32

Fiscais da Diretoria de Ações de Proteção e Defesa do Consumidor (Codecon), vinculada à Secretaria Municipal de ordem Pública (Semop), emitiram na manhã desta quinta-feira (22) um auto de infração e uma notificação para o Mercado Econômico, em Mussurunga, além de três notificações para o Rei da Pamonha, na Paralela. O auto de infração lavrado para o estabelecimento de Mussurunga foi resultado de uma denúncia feita aos fiscais, que flagraram nove litros de iogurtes vencidos. No caso do Rei da Pamonha, as notificações foram emitidas por ausência de etiquetas de validade, placa antifumo e lixeiras fora do padrão.

A fiscalização teve como objetivo verificar irregularidades na venda de produtos juninos, e segue durante a tarde em outros estabelecimentos. “Estamos tendo um trabalho maior voltado aos estabelecimentos que estão vendendo esses produtos típicos para que o consumidor não seja prejudicado de nenhuma forma. Os proprietários têm que entender que toda a informação sobre os produtos comercializados tem que estar exposta para que a população filtre e decida se essa é a melhor opção de compra”, afirmou o Antônio Ruy, encarregado de fiscalização da Codecon.

Os estabelecimentos notificados têm prazo de 10 dias para adequar-se às normas que estavam em desacordo com CDC, podendo se sujeitar às penalidades previstas na Lei Federal 8.078/90, que podem variar de R$ 300 a R$ 6 milhões. Caso o cidadão queira fazer uma denúncia, pode entrar em contato com a Codecon pela internet ou pelo telefone 156. Quem preferir pode comparecer pessoalmente, na Rua Chile, nº 3, Centro.

Blitz do Consumidor

Realizada entre os dias 19 e 22 de junho, a Codecon visitou 95 estabelecimentos, emitiu 21 notificações e um auto de infração durante Blitz do Consumidor. Desta vez, o foco da ação de fiscalização por parte do órgão municipal foram os produtos e artigos juninos, comercializados por grandes redes de supermercados localizados nas Avenidas Paralela, Bonocô e ACM. Entre os objetos de notificação estão: ausência de etiqueta de preço; do exemplar do Código de Defesa do Consumidor (CDC); além da comercialização de produtos fora do prazo de validade.

Na noite desta quarta-feira (21), fiscais do órgão estiveram no Estádio Manoel Barradas. Na oportunidade, as lanchonetes do Estádio foram notificadas por lixeira quebrada, falta de CDC, salgados sem etiqueta informativa, além de sachês de ketchup fora do prazo da validade. Da mesma forma que os demais estabelecimentos, o local tem prazo de 10 dias para se adequar às normas que estavam em desacordo com CDC, podendo se sujeitar às penalidades previstas na Lei Federal 8.078/90.

22 de junho de 2017, 16:00

Para quem quer mais uma opção para entrar no clima junino, o Centro Cultural Solar Ferrão, localizado no Pelourinho, apresenta a exposição ‘Viva São João’, que fica em cartaz até o próximo dia 30. A mostra faz parte da comemoração dos 50 anos do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), e conta com obras de artistas de diversas regiões do Recôncavo baiano e da capital, que dialogam com a temática junina.

Com curadoria de Marcia Schlapp e Gilson Sacramento, ‘Viva São João’ traz o universo junino por meio das obras expostas, as quais expressam em suas criações o poder de instituir tradições, reforçando a memória do passado, na representação do presente, propondo diferentes pontos de vista sobre a interpretação das tradições.

A mostra integra ainda o ‘Projeto Santos Juninos no Centro Histórico de Salvador’, que, de acordo com a coordenadora do Solar Ferrão, Graça Lobo, tem o objetivo de promover o diálogo entre a arte, a tradição, a cultura popular e a cidadania, por meio da realização dos festejos juninos. O Solar Ferrão e os demais museus que são administrados pela Dimus estarão fechados nesta sexta-feira e no sábado (23 e 24), retornando às atividades na terça (27), sempre das 13 às 17h. Leia mais no site da Secult.

22 de junho de 2017, 15:34

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou hoje (22) que uma frente de investigação contra o presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, saia da alçada do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e seja encaminhada à Justiça Federal de São Paulo.

A ação é consequência da delação premiada de Marcelo Odebrecht. Fachin acatou um recurso de Skaf, que argumentou não haver relação entre os fatos narrados e os crimes investigados por Moro no âmbito da Lava Jato.

Skaf é suspeito de corrupção passiva e fraude eleitoral. Segundo depoimento de Odebrecht, o presidente da Fiesp recebeu R$ 2,5 milhões não declarados para sua campanha ao governo do estado de São Paulo, em 2014. A quantia teria sido repassada a pedido de Benjamin Steinbruch, presidente da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

“Do cotejo das razões recursais com o depoimento prestado pelo colaborador não constato, a priori, relação dos fatos com a operação de repercussão nacional que tramita perante a Seção Judiciária do Paraná”, escreveu Fachin no despacho em que acatou o recurso. O ministro havia remetido o processo a Curitiba em abril.

Na início da semana, Fachin retirou outros três processos envolvendo o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva da competência de Moro, bem como uma ação envolvendo o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

22 de junho de 2017, 15:01

A missão dos Estados Unidos perante a ONU exigiu nesta quinta-feira (22) ações das Nações Unidas na Venezuela perante a “trágica situação” do país. “O povo venezuelano está passando fome enquanto o governo pisa na democracia”, afirmou em um comunicado a embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley. A informação é da agência EFE.

“A comunidade internacional deve agir, inclusive se o Conselho de Direitos Humanos e a Organização de Estados Americanos (OEA) estiverem bloqueados” nas suas decisões sobre a Venezuela, acrescentou.

A chamada foi feita horas depois do encerramento da Assembleia Geral da OEA em Cancún (México), sem que tenha sido aprovada uma resolução proposta por vários países a favor do cancelamento da convocação e realização da Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela.

Na sua mensagem, Nikki Haley destacou “os contínuos esforços” dos Estados comprometidos a manter a democracia no continente.

22 de junho de 2017, 14:28

Os moradores da Rua Doralice Pereira Doria, situada na Estrada das Barreiras, no bairro de Tancredo Neves, mal acreditavam que um problema antigo e crônico de saneamento básico do local está prestes a ser solucionado pela Prefeitura. Durante a vistoria de limpeza do canal que corta a região, ocorrida nesta quinta-feira (22), os cidadãos receberam a notícia de que deverão ser realizadas, também, melhorias na infraestrutura, que vai trazer mais dignidade aos residentes na comunidade. A declaração foi dada na ocasião pelo prefeito ACM Neto, acompanhado dos secretários Marcílio Bastos (Manutenção) e João Roma (Gabinete), demais gestores municipais, autoridades e lideranças comunitárias.

O prefeito se emocionou com o relato dos moradores, que afirmaram ser esta a primeira vez que um chefe do executivo municipal vai até a localidade para ver de perto a situação que a comunidade enfrenta há anos. Morando ao lado do canal, por onde passa o esgoto, os cidadãos vivem situações como alagamentos no período chuvoso, assim como uma rua improvisada, sem pavimentação ou proteção, que provoca riscos de queda no canal principalmente para crianças e idosos.

“Nesse sentido, a Prefeitura já começou a tomar providências. As máquinas já estão presentes com os agentes da Seman para fazer a limpeza do canal. A segunda etapa será o início de uma obra que permita o tamponamento desse canal com a urbanização dessa área”, completou ACM Neto. Para esta segunda etapa, será feito o estudo de topografia no local para elaboração de projeto e execução da intervenção. Os pontos mais críticos terão atenção especial, principalmente no reforço da estrutura e aumento da vazão.

Limpeza

Por meio da Secretaria Municipal de Manutenção (Seman), foi realizada uma ação inicial de limpeza em 690m de canal. Neste momento, a iniciativa está sendo refeita para contemplar todos os 2,2km de extensão. A intervenção é feita manualmente, para não prejudicar a estrutura das casas situadas à margem.

A operação envolve 15 funcionários e duas máquinas – minicarregadeira e miniescavadeira – para a ação mecânica. A previsão é de que toda a ação seja concluída na primeira quinzena de julho e o investimento é de, aproximadamente, R$295 mil.

22 de junho de 2017, 14:05

Em reunião hoje (22) com investidores noruegueses, o presidente Michel Temer pediu a eles que façam parte “desse momento próspero” pelo qual passa o Brasil. Na tentativa de despertar o interesse dos investidores, Temer citou as reformas trabalhistas e previdenciária, em tramitação no Legislativo brasileiro, e as privatizações e concessões que estão sendo feitas no setor de infraestrutura brasileiro.

Temer disse, aos investidores, que o novo modelo de privatizações e de concessões que está sendo aplicado no Brasil representa oportunidades de investimentos que, em conjunto com as reformas trabalhista e previdenciária, resultará na melhora do ambiente de negócio e da produtividade.

“Queremos que o investidor norueguês faça parte desse momento próspero que estamos vivendo no Brasil. Estou certo e esperançoso de que mais investimentos virão em vários setores, não apenas em energia. No [âmbito] comercial, temos de aumentar as trocas com a Noruega”, disse o presidente ao discursar no evento organizado em Oslo pela Associação dos Armadores da Noruega.

Temer destacou os benefícios de se investir no Brasil. “Temos hoje quase 206 milhões de habitantes e uma grande fonte de oportunidades. Nossa matriz energética é limpa, nossa agricultura é competitiva e sustentável, e abrigamos parque industrial extremamente diversificado.”

No discurso, o presidente brasileiro citou os principais pontos da reforma trabalhista e apresentou alguns dados econômicos, como o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) e a queda da taxa básica de juros, na tentativa de apresentar um cenário atrativo para investimentos.

“Vocês encontrarão um país com fundamentos sólidos e oportunidade de investimentos muito seguros”, disse Temer. “O país continuará a avançar com as reformas trabalhista e previdenciária”, acrescentou.

22 de junho de 2017, 13:32

O juiz Sergio Moro já recebeu todos os documentos da ação penal que investiga o suposto triplex de Lula no Guarujá. Com isso, o juiz já está pronto para condenar ou absolver o ex-presidente. Os autos chegaram ao gabinete de Moro no começo desta tarde. Lula responde por um apartamento tríplex no Guarujá, que seria usado como pagamento de propina, e pelo pagamento da guarda de bens do ex-presidente, em um depósito da transportadora Granero.

Informações da Coluna Radar, no site da Veja

22 de junho de 2017, 13:01

Moradores da Liberdade e adjacências já podem contar com os serviços do Centro Municipal Odontológico (CMO) da localidade. Localizada na Rua Lima e Silva, 491, a unidade foi entregue à comunidade nesta quarta-feira (21), com estrutura física totalmente requalificada, equipamentos modernos e equipes completas. O espaço tem capacidade para atender cerca de 1.500 pessoas por mês, proporcionando uma atenção integral à saúde bucal da região.

No total, 17 profissionais entre cirurgiões dentistas e auxiliares atenderão o público de segunda a sábado (exceto feriado), sempre das 7h às 19h. “É uma unidade de ponta com o sistema de atendimento informatizado que garante mais eficiência no acompanhamento do usuário assistido pelo equipamento. O público poderá realizar os agendamentos dos procedimentos na própria unidade ou serem encaminhadas pelos serviços da atenção básica de nossa rede. A instalação do dispositivo desafogará significantemente as demanda no setor da região”, esclareceu José Antonio Rodrigues Alves, secretário municipal da pasta.

O CMO Liberdade ofertará procedimentos clínicos em saúde bucal, tais como: exames clínicos bucais, restaurações odontológicas, extrações dentárias, raspagem e alisamento radicular, profilaxia, tratamento de doenças gengivais, aplicação tópica de flúor e radiografias odontológicas, incluindo o atendimento das urgências e pequenas cirurgias ambulatoriais, assim como a prescrição de medicamentos e outras orientações na conformidade dos diagnósticos efetuados.

22 de junho de 2017, 12:33

Após três anos de vigência do Plano Nacional de Educação (PNE), apenas seis das 30 metas e estratégias que deveriam ter sido cumpridas até 2017 foram alcançadas total ou parcialmente. O número representa 20% do total, o que significa que quatro em cada cinco metas não foram atingidas. O balanço é do Observatório do PNE (OPNE), uma plataforma formada por 24 organizações parceiras, coordenada pelo movimento Todos Pela Educação.

O PNE é uma lei federal, sancionada em 2014, que prevê metas para melhorar a qualidade do ensino brasileiro em um prazo de dez anos, desde a educação infantil até a pós-graduação. As estratégias preveem aumento do investimento, melhorias em infraestrutura e valorização do professor. O texto estabelece 20 metas para serem cumpridas até 2024, das quais oito têm prazos intermediários, que já venceram. A lei também aponta 254 estratégias relacionadas a cada uma das metas e 14 artigos que definem ações a serem realizadas no país.

Na avaliação da presidente executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, o principal entrave para o cumprimento do PNE é a falta de um plano estratégico que estabeleça uma ordem de execução das metas. Para ela, os governos federal, estaduais e municipais deveriam ter traçado uma estratégia de execução para definir o que deve ser feito primeiro.

“O plano não coloca as metas e as estratégias em uma ordem para que a gente consiga fazer com que ele seja realmente executado e cumprido. Algumas metas são gargalos para outras, é preciso definir quais deveriam ser cumpridas antes para que outras avancem e quais metas vão impedir que as demais sejam cumpridas”, aponta.

Para a pedagoga Anna Helena Altenfelder, superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), o balanço dos três anos do PNE é preocupante. “Ainda mais se levarmos em consideração que as metas são articuladas e o sucesso de uma depende da execução da outra. Temos que pensar no plano como um todo”, diz.

O MEC diz que está trabalhando na implantação de políticas estruturantes e na melhoria da gestão dos programas para alcançar melhores resultados. Uma das principais ações é implantação da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) que deverá promover a melhoria das aprendizagens em todas as etapas da educação básica. As ações envolvem também investimento na melhoria das escolas, na formação dos professores, na educação infantil, além da garantia da alfabetização e da mudança da estrutura curricular do Ensino Médio.

22 de junho de 2017, 12:01

O Ministério Público do Estado (MP) confirmou ontem, segundo informou a Coluna Satélite do Jornal Correio, a visita ao Ilê Axé Opó Afonjá para averiguar a denúncia de que familiares e filhos de santo estariam impedidos de ter acesso a Mãe Stella. A coluna havia noticiada a denúncia na quarta (21).

“O MP esteve lá, porém, não posso dar informações a mais. É muito prematuro. Em respeito a ela, estamos agindo cautelosamente e precisamos ter muito cuidado. Envolve coisas que precisamos de maiores informações”, disse a promotora de Justiça Márcia Teixeira, coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Defesa dos Direitos Humanos do MP. Segundo a promotora, o pedido de intervenção feito por parentes da ialorixá foi oficialmente protocolado ontem.

Entretanto, Márcia Teixeira considera prematuro confirmar a veracidade da denúncia. “A gente tem ainda que conversar com pessoas da comunidade. Não significa que ela esteja sofrendo qualquer tipo de violência”, disse à coluna. Coincidentemente, Mãe Stella é símbolo da nova campanha do MP para combater os maus-tratos contra os idosos.

Informações da Coluna Satélite, do Jornal Correio

22 de junho de 2017, 11:30

A capital baiana já está em clima de São João. Nesta quinta-feira (21) começa a programação de shows na Praça João Martins, em Paripe, no Subúrbio Ferroviário, e em três palcos no Pelourinho, armados no Terreiro de Jesus, Largo do Pelourinho e Cruzeiro de São Francisco (Sala de Reboco).

Em Paripe, a primeira atração será a banda Forrozão, às 19h. Em seguida, Aviões do Forró sobe ao palco às 21h. Logo depois, será a vez do Forró do Muído se apresentar, às 23h. Já o cantor Genard anima o público a partir da 1h.

No Largo do Pelourinho, a programação será aberta pela Orquestra Sanfônica, às 17h. Na sequência, apresentam-se Jeane Lima (às 19h), Arnaldo Farias (às 21h), Renato Fechini (às 23h) e Cangaia (à 1h). No Terreiro de Jesus, Adelmario Coelho faz o primeiro show no local, às 17h, seguido por Virgílio (às 19h), Dorgival Dantas (às 21h), Carlos Pitta (às 23h) e Nonô Curvêllo (a 1h).

No Cruzeiro de São Francisco (Sala de Reboco), a primeira atração é Xote Bacana, às 17h. A animação continua com Caciques do Nordeste (às 19h), Trio Virgulino (às 21h), Flor Serena (às 23h) e Dona Enkrenka (a 1h).

22 de junho de 2017, 11:01

O Governo do Estado publicou no Diário Oficial, na edição de quarta-feira (21), o resultado da seleção de projetos para os festejos de São João e São Pedro de 74 municípios a serem apoiados pela Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa). No dia 10 deste mês, foi publicada a seleção destinada aos festejos de Santo Antônio, com 13 municípios, perfazendo um total de 87 contemplados no São João da Bahia e demais festas juninas de 2017.

Segundo o superintendente da Bahiatursa, Diogo Medrado, os festejos juninos movimentam a maioria dos municípios baianos durante todo o mês de junho. O apoio às manifestações típicas do período contribui para o estímulo à economia de cada cidade, gerando emprego e renda, além de incrementar o fluxo turístico na Bahia durante o período.

Municípios contemplados para as três festas:

Glória, Teolãndia, Serrolândia, Jandaíra, Mirante, Caetanos, Paramirim, São Domingos, Jaborandi, Iraquara, Prado, Planaltino, Contendas do Sincorá, Alagoinhas, Amargosa, Andorinha, Aramari, Banzaê, Barra da Estiva, Barra do Mendes, Barro Preto, Bom Jesus da Lapa, Botuporã, Brumado, Caculé, Caetité, Candiba, Cândido Sales, Campo Alegre de Lurdes, Cícero Dantas, Condeúba, Contendas do Sincorá, Cordeiros, Coribe, Cruz das Almas, Dias D´Avila, Dom Basílio, Dom Macedo Costa, Érico Cardoso, Gandú, Guajeru, Heliópolis, Iaçu, Ibipitanga, Ibirapuã, Ipiaú, Irajuba, Irecê, Itaberaba, Itajibá, Itiruçu, Itatim, Itiúba, Ituaçu, Jacobina, Jaguaquara, Jeremoabo, Lafaiete Coutinho, Lauro de Freitas, Mairi, Maracás, Miguel Calmon, Milagres, Mutuípe, Nova Viçosa, Paripiranga, Paulo Afonso, Planaltino, Planalto, Prado, Presidente Jânio Quadros, Queimadas, Quijingue, Retirolândia, Riachão das Neves, Ribeira do Pombal, Santa Brígida, Santana, Santo Antonio de Jesus, Santo Estêvão, São Desidério, São Felix do Coribe, Souto Soares, Tanquinho, Tapiramutá, Ubaíra e Vitória Da Conquista.

22 de junho de 2017, 10:34

O Banco Central (BC) manteve a projeção para o crescimento da economia este ano e reduziu estimativa para a inflação. De acordo com o Relatório de Inflação, divulgado hoje (22), em Brasília, a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, segue em 0,5% para 2017.

Entretanto, no relatório, o BC cita as reformas propostas pelo governo, como a da Previdência e trabalhista, para que a economia se recupere este ano. “A manutenção, por tempo prolongado, de níveis de incerteza elevados sobre a evolução do processo de reformas e ajustes na economia pode ter impacto negativo sobre a atividade”.

Sobre a inflação, o Banco Central diz que “permanece favorável, com desinflação difundida inclusive nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária [definição da taxa básica de juros, a Selic]”, diz o relatório.

No relatório, as projeções para a inflação são apresentadas em quatro cenários. A “projeção central”, elaborada considerando as estimativas do mercado para a taxa de juros e o câmbio, indica inflação em torno de 3,8%, 0,2 ponto percentual abaixo da divulgada no relatório de março.

Para o fim de 2018, a projeção permaneceu em 4,5%. Na estimativa para a inflação em 12 meses encerrados no final do segundo trimestre de 2019, o índice cai para 4,3%.

22 de junho de 2017, 10:03

Andrea Neves, irmã do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), deixou o Complexo Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte, passando a cumprir prisão domiciliar.

Na última terça-feira (20), a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal decidiu estender a ela e a Frederico Pacheco, primo de Aécio, o benefício concedido no mesmo dia a Mendherson de Souza Lima, ex-assessor do senador Zezé Perrella (PMDB-MG).

Os três são apontados pelo Ministério Público Federal (MPF) como intermediários no recebimento de propina da JBS por Aécio. Eles foram presos em 18 de maio, na Operação Patmos.

Andrea Neves instalou uma tornozeleira eletrônica ainda antes de sair da prisão, informou o advogado Marcelo Leonardo. Ela não poderá sair de casa sem autorização prévia e está vetada de se comunicar com o irmão.

Ela foi apontada pelos investigadores como sendo responsável por solicitar R$ 2 milhões em propina a Joesley Batista, dono da JBS. O dinheiro seria destinado a pagar advogados.

Outros R$ 40 milhões teriam sido solicitados por Andrea. A defesa alega que a quantia nada tem a ver com vantagens ilícitas, sendo referente à venda de um apartamento da família no Rio de Janeiro.

22 de junho de 2017, 09:34

Depois da viagem oficial feita à Rússia, o presidente Michel Temer já está em Oslo, capital da Noruega, principal país financiador do Fundo Amazônia, com repasses de R$2,8 bilhões. A questão ambiental está entre os assuntos a serem tratados nas reuniões com as autoridades locais. Hoje (22), o presidente brasileiro se encontra com investidores noruegueses. Amanhã (23), Temer reúne-se com o Rei Harald V, com a primeira-ministra, Erna Solberg, e com o presidente do Parlamento, Olemic Thommessen.

A Noruega é o oitavo maior investidor estrangeiro no Brasil, com presença no setor de energia. Atualmente, há 89 projetos no âmbito do Fundo Amazônia em áreas como combate ao desmatamento, regularização fundiária e gestão territorial e ambiental de terras indígenas. O Fundo é administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com o Palácio Planalto, Temer buscará, nesses encontros, ampliar o comércio entre o Brasil e a Noruega. Há também interesse em avançar nas negociações para um acordo de livre comércio entre o Mercosul e a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), grupo integrado por Noruega, Islândia, Liechtenstein e Suíça. A viagem de retorno a Brasília está prevista para a noite desta sexta-feira.

Na viagem feita à Rússia, foram assinados vários acordos para desburocratizar e incentivar as relações comerciais entre os dois países, bem como favorecer a cooperação econômica, os investimentos e os diálogos bilaterais. Nos encontros, Temer assumiu o compromisso de aproximar Mercosul e União Econômica Euro-Asiática, quando o Brasil assumir a presidência do bloco sul-americano, no próximo semestre.

Temer e o presidente russo, Vladimir Putin, assinaram uma declaração conjunta na qual os dois países manifestam posições e agendas de interesse comum relativas à política internacional. Segundo o presidente brasileiro, os acordos facilitarão o comércio e os reinvestimentos, além de aprofundar o diálogo político.

22 de junho de 2017, 09:05

O Índice de Confiança da Indústria apresentou uma queda de 2,3 pontos na prévia de junho, na comparação com o resultado consolidado de maio, chegando a 90 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. Caso o resultado se confirme na pesquisa consolidada deste mês, será a primeira queda do indicador depois de três altas consecutivas. A pesquisa foi feita pela Fundação Getúlio Vargas.

A prévia mostra que os empresários estão menos confiantes em relação tanto ao presente quanto ao futuro. O Índice de Expectativas recuou 3,2 pontos, chegando a 92,5 pontos, e o Índice da Situação Atual (ISA) diminuiu 1,3 ponto, atingindo 87,7 pontos.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (NUCI) recuou 0,1 ponto percentual na prévia de junho, indo para 74,6%. O resultado manteria o NUCI relativamente estável em relação ao mês anterior.

Para a prévia de junho de 2017 foram consultadas 786 empresas entre os dias 1º e 20 deste mês. O resultado final da pesquisa será divulgado no dia 28 próximo.

22 de junho de 2017, 08:33

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, nomeou nessa quarta-feira (21) como novo ministro das Relações Exteriores o embaixador do país na Organização dos Estados Americanos (OEA), Samuel Moncada. Ele vai substituir Delcy Rodríguez, que deixa o cargo para se candidatar a integrante da Assembleia Nacional Constituinte, convocada recentemente. A informação é da Agência EFE.

Em rede obrigatória de rádio e televisão, Maduro afirmou que convocou o vice-ministro para a América do Norte e embaixador na OEA, Samuel Moncada, para que assuma a chancelaria a fim de “manter a verdade da Venezuela” no mundo.

Rodríguez estava no cargo desde dezembro de 2014. Agora, ela se apresentará como candidata a ajudar na redação da nova Constituição e, por lei, deve deixar o ministério.

No dia 1º de junho, Maduro anunciou que Rodríguez e a primeira dama Cilia Flores seriam candidatas à Assembleia Constituinte.

22 de junho de 2017, 08:02

As autoridades britânicas não revisarão a situação de imigração das pessoas afetadas pelo incêndio em um edifício residencial de Londres, anunciou hoje (22) a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May. O incêndio, ocorrido na semana passada na Tosse Grenfell, deixou 79 mortos ou desaparecidos. A informação é da Agência EFE.

A chefe do Governo anunciou a decisão na Câmara dos Comuns, diante da possibilidade de alguns moradores estrangeiros da Torre Grenfell estarem em situação irregular.

Theresa May também informou que cada adulto que morava no edifício da região oeste de Londres está recebendo 500 libras (cerca de 565 euros) em dinheiro, contribuições que as vítimas não terão que devolver ao governo.

Carregando notícias...